#Resenha: Beleza Perdida – Amy Harmon (Verus Editora)



Título: Beleza Perdida
Autora: Amy Harmon
Editora: Verus
Páginas: 332
Ano de publicação: 2015 - 3ª ed.
Nota: 5/5
Onde comprar: Saraiva * Amazon * Livraria da Folha

A História
Ambrose é diferente de Fern em praticamente tudo. Ele é lindo, popular e adorado por todos. Todo mundo quer ser como ele ou o ter em sua vida. Fern é o tipo de garota conservada, na dela, dessas que devora mundos em livros, mas fora deles se acha uma negação. Fern tem certeza que Ambrose nunca olharia para ela da forma como ela sempre quis. Mas algo surge a partir do momento em que ambos descobrem que suas almas dialogam bem uma com a outra.
Ambrose então parte para a guerra com mais quatro amigos. O tempo passa e quando ele retorna para sua antiga cidade, sua vida muda drasticamente. Ele perdeu tudo. Seus amigos se foram. Sua beleza também. Sua antiga vida acabou. E só o que resta é a dor da perda. Agora ele está se escondendo de tudo e de todos, se punindo por não ter ido junto com os outros. É quando ele encontra Fern mais uma vez e tudo parece se encaixar novamente.
Personagens principais
Fern é o tipo de garota na dela. Ignorada pelos garotos, ruiva, baixinha, desajeitada e com óculos, ela é filha de pastor e não faz nenhuma loucura na vida. Leva uma vida totalmente diferente dos seus personagens criados em seus romances. Além de devorar livros, Fern é completamente apaixonada por Ambrose.
Ambrose é alto, muito musculoso e tem cabelos compridos até os ombros. O cara é considerado o Hércules da equipe de luta. Mas, o que poucos sabem é que sua alma é tão sensível quanto seus desejos mais secretos. Afinal, ele tem que manter a pose.
Quando Ambrose volta da guerra, sua beleza não é mais a mesma. Fern está mudada também, e eles vão precisar rever o sentido do que é realmente belo em nome da vida e do amor.
Personagens secundários
Bailey é o melhor amigo e primo de Fern e também é amigo de Ambrose. Ele tem distrofia muscular de Duchenne que o deixou preso em uma cadeira de rodas, mas a maioria dos que possui a doença, não chega a idade dele. Embora suas dificuldades sejam grandes, Bailey é um amor de pessoa, alto astral e ajuda a todos que pode, inclusive sendo o técnico da equipe de luta que o pai lidera, da qual Ambrose participa. O maior de seus problemas mesmo é o amor que sente por Rita.
Rita é amiga de Fern e de Bailey. Eles sempre foram amigos. Ela é do tipo de garota que chama atenção dos garotos. Bonita, loira e peituda, mas acaba sendo uma boba quando o assunto é homem bonito, pois ela não se dá valor.
Grant, Beans, Paul e Jesse são os melhores amigos de Ambrose. Cada um com seu jeito de ser, cada um com sua singularidade em ajudar o grupo. Todos fazem tudo juntos. Mas, agora, eles devem se separar e é o que mais vai doer e destroçar Ambrose e a cidade onde moram.
Capa, escrita e detalhes
A capa é muito bonita e tem tudo a ver com a história. Dá para imaginar, aliás. Eu curti bastante! A escrita da autora é de tirar o fôlego. Muitas citações bombásticas e tudo para destruir nossos corações e abalar nosso sentido de beleza. Você vai se pegar se questionando sobre o que é realmente belo na vida, qual o sentido de desejar beleza e o que ela fará com você.
O livro é narrado em terceira pessoa e conta com vários flashbacks do passado que dão toda uma forma ao presente. Dá para ler rapidinho, porque a leitura é bem fluída após os primeiros capítulos que, por falar neles, são bem curtinhos.
Só não se assuste se houver emoção rolando por sua face.
Conclusão
Eu amei o livro! E sim, é uma releitura de A Bela e a Fera, só que mais real, sem o toque de conto de fadas, então, se você gosta da história da Bela, vai amar a história da Fern e Ambrose. Não tem como não se apaixonar por essa história.
Eu recomendo muito o livro para quem é fã desse tipo de conto e para quem ama romances. Você vai ter seu coração detonado, mas vai se reconstruir de uma forma bem mais bela. Aliás, vai aprender a encontrar outro valor para a beleza.
Quanto custa sua beleza? O seu valor está no que você é ou no que outros veem em sua capa, em sua beleza? É um romance incrível e que vai te destruir por dentro para depois te construir novamente, de uma forma diferente. Você não vai mais ser a mesma pessoa depois que passar por essa história.
Citações
Prefiro ser ninguém em casa do que ser alguém em outro lugar”.
Prefiro estar em lugar nenhum. Ser ninguém quando se espera que a gente seja alguém, fica chato”.
Todo mundo que é alguém se torna ninguém quando fracassa”.
“… a expectativa costuma ser melhor que a coisa real”.
A coisa real, quando bem feita, é sempre melhor que sonhar acordado”.
Às vezes a vida parecia particularmente injusta, dura demais, além do suportável”.
Às vezes, ter amigos especiais pode ser difícil. Às vezes você vai sofrer por seus amigos. A vida nem sempre é fácil, e as pessoas podem ser cruéis”.
A vitória está na batalha”.
Às vezes não é possível retornar a vida. Às vezes a vida está morta e enterrada, e a única opção é fazer uma nova”.
Os livros permitem que as pessoas sejam quem elas querem ser, para escapar de si mesmas por um tempo”.

Vai mesmo ficar tudo bem?

Sabe quando a gente cresce e parece que a dor se torna algo quase suportável? É quando você acaba sendo pega de surpresa por uma situação que jamais pensou acontecer e acaba tirando forças de onde nunca imaginou para parar e refletir. Você pode chamar do que quiser, eu chamo de crescimento. A gente cresce, sabia? O tempo passa e a gente vai virando gente grande. E, sim, muitas vezes é um saco, mas, sabe? O fato de eu não ser mais delinquente para lidar com muitas coisas me faz perceber que é preciso crescer.
Ah, não, é claro que ainda choro. Às vezes como bebê chorão, outras em um silêncio ensurdecedor e, em outras ainda, nem lágrimas saem. Tenho mais medo dessas duas últimas. Quando você chora de espernear, chora abertamente. Quando o choro está encurralado no silêncio, a gente perde para a angústia. Ela massacra nossa força interna e a gente acaba guardando mágoas. Aliás, são péssimos comprimidos para a alma.
Você disse, outro dia, que vai ficar tudo bem. Sério, eu concordo com você. Mas eu não sei mesmo quando é que vai ficar tudo bem. E tudo bem. A gente passa a vida toda tentando encontrar motivos pra acreditar que vai ficar tudo bem. Então, a gente cresce e passa a perceber que, mesmo depois da dor, as coisas se ajeitam. É que sempre existe um jeito das coisas mais sem jeito se ajeitarem. E se tudo se ajeita, por que a gente não se ajeitaria, não é mesmo?
Mas o que fazemos nesse meio tempo? Vamos levando como der ou a gente suborna as estações para chegar lá mais rápido? Não dá pra fingir que, nesse exato momento, há muitas peças fora do lugar. Nós conhecemos o nosso “tudo bem” e não é nem um pouco parecido com isso. Enlouquecemos ao perceber que a cada mancada que damos na vida, há uma consequência a conviver. E podemos não gostar nadinha. Pois bem, essa é uma delas. Eu não estou gostando. Você está?
E mesmo que a gente acredite que vai ficar tudo bem um dia, não está nada bem agora. E eu não sei lidar com um amanhã incerto, um hoje desconcertante e um ontem que insiste em me fazer lembrar como era bom quando estava tudo bem de verdade.
Vai ficar tudo bem, eu só não sei quando e sinto que está longe de chegar. E talvez nem chegue. 

Coisas que a gente descobre após os vinte e poucos


Sabe quando a gente se sente dentro de um filme? Desses da sessão da tarde, sem direito a pipoca, mas com um tédio angustiante. Ou até mesmo desses que passam “tarde da noite”, sem sequer se darem conta que não existe diferença para quem passa a noite inteira acordado. Mas, quer saber de uma coisa? De início, eu gostava do filme, sei lá, achava que fosse ter um final bonito e tal. Essas coisas que a gente sempre espera no final de cada filme que mais parece um conto de fadas. E aí eu esperava e encenava diversas vezes na mente quem ficaria com quem, mas, sabe, o que eu não sabia era que eu não ficaria com alguém.
A mocinha não se perdeu pelos olhos do garanhão.
É, vai ver não éramos mesmo um filme. Ou, pela primeira vez na vida, assisti a algo que desse lugar a um tiquinho de realidade de que as coisas mais belas também podem e vão chegar ao fim. E, claro, não adianta a gente espernear, como bem já sabemos. Não adianta também desligar a TV com raiva dos protagonistas que não encenaram as cenas que você montou sozinho, perdido na escuridão da ilusão de que os dias bons duram para sempre, mesmo chegando ao fim.
Mas parece que não duram tanto assim, não é mesmo?
Sabe quando você tem a certeza absoluta de que não tem mais certeza de nada? Isso só garante que sua fase dos vinte e poucos chegou. Não vou oferecer minhas condolências, por pura sinceridade: todos nós devemos chegar. E se você chegou nesse estado antes dos vinte e poucos, não lamente, tem mais experiência que todos nós, vai por mim. O problema é que tomamos um choque de realidade e, por isso sim, eu lhe ofereço minhas condolências. Quando a gente cresce, perde a ilusão de que a vida adulta ainda pode ser como nos contos de fadas. E, tá, posso estar sendo muito gentil dizendo apenas essa frase bonita com ar poético, mas a verdade vai ser escrita agora: a vida é uma merda se a gente aceita que ela seja.
Ah, mas aí está a parte boa dos vinte e poucos: a gente passa a não aceitar menos do que dá duro para ter.
Pois é, caro leitor, crescer talvez seja apenas isso: dar duro na vida. Mas, quer saber? Pode ser tudo aquilo que quisermos, então, na boa, não espere que lhe entregue um roteiro pronto ou um Manual de Como Ser Adulto, tá legal? E se te entregarem um, rasgue. Você chegou aos vinte e poucos? Ótimo, vai viver e as outras fases vão chegar como num passe de mágicas. E lá vamos nós tocar na magia novamente. Fazemos isso só porque nunca nos livraremos do encanto de criar expectativas e um toque mágico dentro de nós. É que podemos crescer o quanto for, ainda assim teremos nossa alma de criança que sempre acreditou dentro de nós. Viva e reluzindo o seu melhor sorriso.
Ora, seja sua alma agora. Seja ela quando quiser. E o melhor de tudo, como bem quiser. Mas, promete que vai ser feliz?

Sobre sonhos, confiança e pessoas que nos atrasam a vida


Sempre tem aquela pessoa que confiamos demais e, quando menos se espera, te surpreende, mostrando que era melhor que ela não existisse em sua vida. E por causa desse tipo de pessoa que perdemos a maior parte da confiança nas pessoas, pois, quando você se machuca uma vez, acaba ficando com medo de se machucar novamente; com isso, resolve se distanciar de todos em sua volta. Pessoas desse tipo são capazes de, num piscar dos olhos, acabar completamente com seus sonhos. Esses mesmos sonhos que levamos uma vida inteira construindo e depois um grande tempo para conseguir realizar. E em um rápido instante eles se vão, e só ficam dentro de nós sentimentos de tristeza e vazio.

O pior é que nada que você tente parece preencher esse lugarzinho vago dentro de si. E você vai vivendo só com a casca, porque a alma mesmo está impregnada de incertezas e buracos. Nossos sonhos são o que nos fazem viver. Uma pessoa sem sonho acaba não indo a nenhum lugar. O problema está em pessoas que entram em nossa vida apenas para destruir tudo aquilo que se leva um bom tempo para conseguir. Sonhos, planos e esperança são tudo o que move uma pessoa que planeja o seu amanhã. E nós sabemos a importância de se planejar o dia de amanhã. Amanhã esse que é pensando e planejando para se tornar mais um dia inesquecível.

Todos os dias são únicos, são uma dádiva que precisa ser vivida do jeito mais especial possível. E como são únicos, o que se guarda é a saudade de não poder voltar no tempo, a esperança de que talvez o dia de amanhã seja parecido com o que ficou marcado ontem. Como um dia que merece ser vivido novamente. É exatamente por isso que os sonhos existem, pois são eles que nos fazem viver o presente, sentir saudade do passado e planejar o futuro.

Com o tempo, algumas pessoas até acabam não fazendo mais tanto mal assim. O mal não vive para sempre, um dia ele é descoberto e quando esse dia chegar, mostraremos que o nosso sentimento interior, nossos sonhos e o bem que nos fazem são o que nos move. É então que essas pessoas vão deixar de fazer parte do nosso cotidiano e, quem sabe, possam perceber que o bem sempre vence o mal.

#Resenha: Amor Imenso – Penelope Ward


 
Título: Amor Imenso
Autora: Penelope Ward
Editora: Planeta de Livros Brasil
Páginas: 269
Ano de Publicação: 2017
Nota: 4,5/5
Onde comprar: Saraiva * Amazon * Livraria Cultura

A História
O que você espera de uma história linda de amizade que está simplesmente acabada por causa de um mal-entendido? Para falar a verdade, não foi muito bem um mal-entendido que levou Amélia a se distanciar de tudo e todos, foi um choque, um choque de realidade que ela jamais esperava ainda tão nova.
Amélia e Justin eram melhores amigos desde criança, viviam juntos para todos os lados. Mas algo fez com que os dois se distanciassem drasticamente, cada um para um rumo totalmente diferente. Desde então não mais tiveram contato. Agora, 10 anos depois, os dois guardam remorsos do passado, e enquanto Amélia quer tentar resolver tudo, Justin não quer sequer tocar no assunto.
Unidos pelo acaso não tão acaso assim, Justin, com sua namorada gatíssima e gente boa, e Amélia se encontram na casa onde se conheceram e são obrigados a passarem o verão sob o mesmo teto: na casa de praia, belíssima feat. deliciosa, que era da avó de Amélia. Os dois vivem brigando e jogando na cara um do outro os problemas do passado. Amélia não aguenta mais, Justin se protege dando seu desprezo, mas os dois estão mentindo para si mesmos, só não querem admitir.
Quanto tempo dura um tempo que já passou? Quanto tempo dura a dor de um amor não compreendido? O novo tempo fará com que os dois encontrem respostas para o que ficou no passado e, contudo, consigam completar as peças que faltam no presente.
Personagens principais
Amélia é professora e vive sozinha. Após abandonar tudo, ela se entregou a uma vida independente. Ainda guarda muitas dores do passado, principalmente de sua mãe irresponsável e que não dá a mínima para nada. Ela acaba de sair de um relacionamento onde pegou seu namorado com outra, quando recebe uma notícia boa, em partes, na verdade: agora ela tem direito a metade da casa de praia de sua avó, a quem tanto amava. Amélia é uma pessoa linda por dentro e por fora, porém sua autoestima está no caos dos tempos. Só ela não vê a grande mulher que é.
Justin trabalha com venda de softwares e, além disso, é músico por amor. Ele é um cara rabugento quando quer, mas tem um coração imenso, onde guarda suas melhores lembranças da infância. Com uma linda voz, ele compõe e toca quando pode, ou quando é chamado e é muito bem recebido pelo público. É fiel à sua namorada, Jade, e trata Amélia muito mal pelo o que ela fez, mas, sabe quando alguém tem bom coração mesmo? Esse é Justin. Essa farsa não dura muito tempo, apesar de ter sido tempo demais.
Personagens secundários
Jade é a namorada bonitona, com belo corpo, cabelo e rosto. Só que ela não é aquela mulher que só pensa na fama, apesar de ser atriz, ela tem mais que apenas o rosto bonito. Amélia descobre em Jade uma pessoa maravilhosa, apesar de seu ciúme, elas se tornam amigas e Jade faz de tudo para que Justin e Amélia possam ter um relacionamento melhor.
Tracy é a amiga de Amélia que também é professora na escola onde lenciona. E também é com quem Amélia pôde contar nesses anos em que esteve sozinha.
Roger e Susan são os novos vizinhos da casa de praia. Susan se torna amiga dela e a ajuda sempre que precisa.
Capa, escrita e detalhes
Não gostei da capa, pra ser sincera, achei meio nada a ver com a história. Olhando a capa, não dava nada pelo livro, pensei que fosse só mais uma história clichê com trechos eróticos. No entanto, o livro teve uma boa trama, e distanciou bastante da ideia inicial que tive por causa da capa, por isso eu a abominei. Penso que ela causa a ideia errada do que o livro traz de verdade. A única coisa que tem tudo a ver com a história é o fato do modelo, que idealiza Justin, ter as tatuagens descritas ao longo da história, o que, de fato, é interessante ser mostrado, pois marca o início e o fim de tudo.
Penso que a capa poderia ser mais melódica, não sei, mas que chamasse atenção para a história bonita de amizade e amor que carrega. A cara de sedução que o modelo faz é totalmente desnecessária ao que realmente é a história de Justin. Enfim, são só detalhes, que fazem a diferença, eu sei, mas que ainda assim não impede de o livro ter sido ótimo.
A escrita do livro é simplesmente leve e não há como não compreender. O livro é narrado em primeira pessoa por Amélia e traz uma coisa muito legal, que são vários capítulos que contam o que aconteceu no passado (está tudo sinalizado, não há como se perder). Ah, e tem uma surpresa gostosa no final do livro que não posso revelar, então, uma dica valiosíssima: NÃO OLHE A ÚLTIMA FOLHA PRIMEIRO, OK? Siga a brisa, apenas.
Tenho que fazer uma afirmação aqui: eu adorei a escrita do livro e a trama em geral, porém achei que foi tudo um pouco corrido mais para o final do livro. Essa questão de X meses depois, deixa a gente numa expectativa grande e a gente quer saber os detalhes! Mas, de qualquer forma, não achei que deixou o livro desmerecedor de nada.
E o título é bastante compatível com a história, apesar de parecer meloso.
Conclusão
Enfim, querem saber o que achei? Eu simplesmente me surpreendi com esse livro! Não dava muita coisa por ele, mas gostei do título e a sinopse me deixou curiosa. Foi uma leitura muito rápida, li em dois dias apenas! E eu consegui compreender bem a trama, sem ficar com muitos questionamentos. Para dizer a verdade, penso que essa é o tipo de história que valeria um segundo livro, porque, tem uma coisinha batucando aqui na minha cabeça (que não posso falar para não dar spoiler) que poderia causar um problema mais para frente. E aí, que tal um segundo livro, Penelope? Hehehe.
Eu iria adorar!
Para os amantes de romance, lá vai minha recomendação! Leia essa maravilha e surpreendam-se com essa história de amor e amizade e superação e tudo o mais… Permitam-se se surpreender com a garra de Amélia e o amor de Justin, mas, inclusive, com as variadas loucuras que acontecem nessa trama em apenas 269 páginas.
Adorei o livro e sei que quem ama romances irá adorar também! Recomendado!
Citações
Era a calmaria antes da tempestade, sem dúvida. Eu só não sabia disso ainda.”
Não se cobiça outra pessoa quando o relacionamento é saudável. É uma indicação de que falta alguma coisa, mesmo que você não saiba exatamente o que é.”
Sempre que queremos que o tempo pare, ele passa voando.”
Minha alma estava doente, mas você foi a cura.
Nunca amei de forma tão pura.
O que mais me fazia temer
Agora faz meu coração arder.”
Não há música sem você. A música é a expressão de tudo o que a gente vive. Um reflexo da paixão dentro da alma. Eu vivo para você. Você é minha paixão. É minha música.”
Nota: 4,5/5
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa
Modificado por: Sâmela faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo