Você vai odiar ler isso... estou avisando

by - julho 31, 2020

texto do ódio
    
    

Odeio café frio, tanto, tanto, tanto... Odeio gente que dorme rápido demais porque eu não durmo tanto assim. Odeio gostar tanto, tanto, tanto de chocolate. De ser viciada em tudo que gosto, porque não sei gostar de menos. Tinha que ser demais?


Odeio dias quentes como odeio café frio. Odeio dias calmos, pois me lembram que nada é assim tão tranquilo, porque insistem que a gente precisa estar produzindo, produzindo, produzindo.


Odeio sentir o clima chato e não saber como melhorá-lo. Odeio sentir frio, mas odeio mais ainda sentir calor. Odeio roupas que agarram meu corpo como se fossem donas, que são coladas em mim como se fossem minha terceira pele. Odeio roupas que não me deixam livre para fazer nada ou fazer tudo. Mas também odeio gostar tanto de roupas largas, “masculinas”, ou sei lá que porra o mundo chama, porque me sinto escondida.


Ao mesmo tempo, passei a odiar gostar de meninices, como roupas fofinhas, rosas e rosadas, com bordas, coisas estranhas e desconfortáveis. Odeio pensar que fico como boneca porque simplesmente gosto. Odeio gostar, porque, como disse, eu gosto muito.


Nunca, nunquinha, menos que isso.


Odeio quando sinto cócegas, porque parece que morrerei feliz e morrer feliz é algo impróprio demais para se viver. Odeio sentir pena de mim, mas vivo me culpando. Por isso, odeio me culpar, porque daí sinto pena de mim. Odeio não perceber o quão incrível eu sou e ao mesmo tempo, quando percebo, odeio ser feita de vitrine, do tipo “olha ela, conseguiu”.


Odeio ser alguém tão quieta, mas amo meu silêncio, então o odeio também. Odeio sentir vontade de viajar o mundo inteiro quando, na verdade, o que mais odeio mesmo é a falta de coragem de partir. Odeio partir. Sério. Não se despeça de mim. Odeio despedidas e odeio ainda mais sentir saudade. Odeio chorar e choro noite e dia como se fosse morrer amanhã.


Odeio o amanhã porque não sei que cara ele tem, se é que tem alguma. Odeio o hoje também, afinal não posso fazer muito para muda-lo, assim como o ontem que me meteu no agora que estou vivendo e nem disse adeus. Porque odeio adeus, você sabe. Odeio que as pessoas saibam sobre mim. É que odeio ter que dizer que estão erradas, eu mesma não sei bem quem sou.


Odeio estar aqui escrevendo isso e te dizendo que vivo odiando porque simplesmente sinto demais para odiar de menos. Você entendeu alguma coisa? Odeio dizer que você não entendeu, então, veja, bem: eu sou o ódio em pessoa porque simplesmente sufoco demais em mim mesma.


Sabe quando você cai e não tem ninguém para segurar sua mão e te levantar? Eu me deixo no chão de propósito porque me odeio por me odiar tanto enquanto, no fundo, eu só sei que eu sou brilhante por estar declarando meu ódio a mim mesma. Viu? Não faz sentido. Mas eu amo odiar, e essa verdade dói tanto quanto dizer eu te amo sem receber resposta.


Por isso, eu digo... eu odeio me odiar simplesmente porque amo estar no meu lugar quando o mundo inteiro é uma miragem de dizeres vazios e pensamentos confusos.


O oposto do ódio é o amor? E se eu sinto as duas coisas quer dizer um tipo novo de amar ou um tipo diferente de odiar?


Sou intensidade e odeio isso, porque é o que mais me faz odiar amar e viver amando com puro ódio.


Hei! Acho que você vai gostar disso também:

1 Recados

  1. Que textoooo é esse? !!!1 Eu simplesmente amei.
    Que intensidade transmitida por meio de palavras, eu amei!

    Sucesso, beijos.
    https://withsmall.blogspot.com/

    ResponderExcluir

E você, o que achou do post? Me conte aqui nos comentários!
Deixe seu link para eu conhecer seu blog também. ;)

Últimos vídeos:

Textos para sua alma