Livros,

#Resenha: Orgulho e Preconceito K-POP - Ana Paula Scolari

março 06, 2019 Sâmela Faria 2 Comments


Título: Orgulho e Preconceito K-POP
Editora: Chiado Books
Páginas: 370
Ano de publicação: 2018
Onde comprar: Amazon | Saraiva


"Orgulho e preconceito são dois lados da mesma moeda. O preconceito, quase sempre, carrega em si o orgulho, assim como o orgulho, geralmente, carrega em si o preconceito. Quando esses dois sentimentos batem de frente, só o amor pode curá-los."


A História

Se você leu o título dessa resenha e já se interessou por  ter o nome Orgulho e Preconceito, esse livro é perfeito para você! Com inspiração em OP, essa história foi escrita para deixar um sorriso em nossa face e vibrar em corações.
Daniel, Alex, Lívia e Mari são irmãos, nascidos e criados no Brasil, mas que também receberam os ensinamentos de costumes sul-coreanos, origem de seus pais. Em busca de melhorar de vida, o quarteto parte para a casa dos tios, Kyung e Hye, na Coreia do Sul.
O objetivo maior dessa grande mudança é tentar carreira K-POP, abreviação de korean pop que significa música pop coreana, mas nenhum deles imagina que tudo está prestes a mudar, tanto entre eles, quanto em seu próprio particular.
O destino prepara um encontro inesperado para o quarteto de irmãos, fazendo com que se deparem com um grupo famoso do K-GIRLS, da qual são fãs. Diante desse estranho e audacioso encontro, novas emoções surgem e revigoram-se no coração de uns, enquanto sentimentos conflitantes se apossam de outros.
O amor não estava na lista de coisas que desejavam, mas será que a gente realmente pode evitar as coisas do coração?
Originalidade, inspiração cativante, intrigas, brigas, paixão, remorso, arrependimento, amor, amizade, orgulho e muito preconceito são pequenas linhas que formam essa história.


Personagens principais

Daniel é o irmão mais conselheiro dos quatro. É um rapaz de boa índole, um coração gigante e muito carinhoso com todos. Ele está sempre com Alex, mas é muito amigo de Mari também. Com vinte e dois anos, Daniel é o irmão sensato, maduro, que sempre diz a coisa certa na hora certa. Além disso, Daniel canta muito bem.
Alex é o irmão caçula, com seus vinte e um anos, e que tem mais, como posso dizer, beleza nos olhos. Ele é tão bom, mas tão bom que chega ser feito de bobo. Sua pureza e inocência são belas, mas também podem lhe causar muitos problemas. Alex canta como ninguém e sempre emociona com sua voz.
Lívia é a irmã que todo mundo precisa tolerar, uma especialidade que cada um tem que construir para viver ao lado dela. Lívia é interesseira, cheia de manha e mania de grandeza, invejosa e totalmente sem noção. Faz coisas do arco da velha e está sempre querendo se exibir. É a irmã que dá trabalho a todos e que não faz questão de mudar.
Mari é a irmã mais velha, com vinte e seis anos. Ela é muito tímida e insegura sobre si mesma, tanto sobre sua aparência quanto sobre suas qualidades. Mari é veterinária e sabe que não tem sucesso como os irmãos na área musical. Ela é mais próxima de Daniel, vive em pé de guerra com Lívia, por culpa da Lívia, claro, mas é o tipo de irmã acolhedora e que sempre se preocupa com todos, independente de qualquer coisa.


Personagens secundários

Kyung é tio de Daniel, Alex, Lívia e Mari. É um homem muito honesto e justo. Ama sua esposa, Hye, embora sejam tão diferentes. Ele é um homem íntegro e que vive se sentindo envergonhado por causa do jeito de sua esposa. Ele é primo e muito amigo de Sarang, que também é prima do quarteto de irmãos.
Hye é esposa de Kyung, mas é uma mulher estranha. Não é que ela seja ruim, no entanto é tão ambiciosa que se torna vulgar e totalmente inconveniente. Todo mundo desaprova seu jeito de ser, mas ela parece nem notar. Quer por que quer casar seus sobrinhos com pessoas de nome e com situação boa de vida. Ela é a pessoa que faz com que todos se sintam constrangidos e desconfortáveis, menos Lívia, claro, com quem a mulher pegou instantânea afeição.
Sarang é uma mulher rica e viúva, dona de seus próprios negócios e conhecida por onde anda. Seu nome tem peso. Ela vive em uma mansão e faz festas frequentemente. Ao conhecer seus sobrinhos, Daniel, Alex, Lívia e Mari, automaticamente quer ajudá-los a realizar seus sonhos. É uma mulher incrível e que está sempre disposta a ajudar.
Jisung é filho de Sarang, portanto, também primo do quarteto de irmãos. É um rapaz meio abobalhado, que está sempre com um sorriso no rosto e fazendo os outros rirem de algum modo. Jisung tem um coração enorme e parece estar procurando alguém para amar.
Yura é irmã de Jisung e filha de Sarang. É uma boa garota, mas que se deixa influenciar pelas amizades. Mas sua mãe está tentando lhe fazer compreender que ser rica não a faz ser superior a ninguém.
Existem outros personagens importantes na trama, como Aileen, Hyuna e Sunhee, mas não vou mencioná-las para não soltar nenhum tipo de spoiler.

Capa, escrita e detalhes

A capa do livro é simples, porém reflete a história. Talvez pudesse ter sido melhor representada, de forma que chamasse mesmo atenção já pela capa, mas de qualquer forma é bonitinha e cumpre o objetivo de combinação com o enredo apresentado.
A escrita da autora é simples e leve, sem muita enrolação. O livro conta com vários diálogos que conduzem muito bem a trama. Não há aqueles parágrafos imensos e, muitas vezes, exaustivos aqui. Eu gostei bastante.
Um ponto bacana na história é que foi escrito em terceira pessoa (e penso que só assim para conduzir tudo isso com tantos personagens). Isso fez com que viajássemos pela trama sob a visão de vários personagens, nos deixando mais próximos dos acontecimentos e das sensações repassadas. Adorei!
A história é conduzida em prol do objetivo dos protagonistas de mudarem de vida, para melhor, claro. No entanto, como nada na vida vem fácil, muitas intrigas os pegam de surpresa no meio do caminho. Daniel e Alex sofrem com a seleção rude da Galaxy para tentar entrar para o novo grupo masculino do K-pop. Enquanto Lívia está procurando emprego para compositora, e Mari recebe uma proposta irrecusável de emprego na área veterinária, mas aceitar pode lhe custar seus bons sentimentos.
Um ponto alto na trama para mim foi justamente a mistura de cultura. Conhecemos pratos, estilos e modos de ser da cultura sul-coreana, enquanto há também a cultura brasileira, já que os protagonistas são do Brasil. Há os modos de vida dos ricos e modo de vida dos mais humildes. E dentre tudo isso, claro, não podia faltar muito orgulho e preconceito num estilo Jane Austen.


Conclusão

Orgulho e Preconceito K-POP é um livro com reviravoltas que te deixam com vontade de ler tudo em única “sentada”. É que, te remetendo literalmente à Orgulho e Preconceito de Jane Austen, a história possui muita intriga entre família, além dos casos de amor e ódio que vão se criando no meio dos protagonistas.
De um lado mora o orgulho, do outro lado vive o preconceito. Da mesma forma que de um lado estão os que não tem dinheiro e de outro estão os mais ricos. Como é ter que lidar com diferenças sociais que pesam diretamente no coração? Como confiar que vai ser diferente enquanto em outras vezes não foi? O que será que acontece quando as cores frias e quentes se misturam e formam uma mancha incompreensível?
Essa é uma história que fala para os amantes. Os amantes de OP, de um bom romance, com clichê, com cenas inesperadas e outras que já estamos prevendo, mas que, ainda assim, nos preenchem completamente. Recomendo!
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Ainda não li Orgulho e Preconceito mas tenho muita vontade. Fiquei curiosa com esse livro também... :)

    ResponderExcluir
  2. Orgulho e Preconceito é maravilhoso, já quero ler esse aí também. Ainda mais que tem essa parada de K-POP. Quero conhecer.

    ResponderExcluir

E você, o que achou do post? Me conte aqui nos comentários!
Deixe seu link para eu conhecer seu blog também. ;)