Conheça nossa página

Eu não sei definir nós dois



Eu não sei como definir você. Eu não sei como falar sobre você, sobre sua índole, seu carisma, sobre sua pessoa. Eu não sei mais como olhar para seu rosto e não admirar cada pedacinho, cada curvinha, cada estampa de marcas da vida, da idade e de muitos sorrisos distribuídos por aí. Eu não sei mais não te amar. Não lembro mais qual gosto tem a vida sem o seu tempero. Não lembro como eu fui feliz sem ter seu riso colado ao meu. Mas eu era. Eu era porque sempre amei a vida, só que, agora, eu entendi que a felicidade não tem tamanho. Que ela não se limita a um único momento na vida da gente e que, apesar de tudo, a gente pode ser feliz um pouquinho a cada dia e, no fim, ser feliz por inteiro.
Nós formamos nossa felicidade, como também nossa tristeza. Digo que sou feliz ao seu lado, mas não espero que olhinhos brilhem e acreditem novamente no amor. O que espero é que as pessoas compreendam o que é felicidade. E que não, você não é a minha felicidade, você é o transbordar dela. Aquela parte que eu sabia que não faltava, mas que agora vejo o quão bom é quando podemos ir além daquilo que somos, daquilo que sentimos e podemos ter. Você me faz ir além. Você me faz querer buscar o depois, mais, muito mais. Você me faz querer seguir, mesmo em tempos nublados, desejo ir. Aliás, eu nunca gostei muito dos nublados que cercam a vida, sempre ficava na espera de suas rápidas passagens. E quando você chegou, eu passei a querê-los mais e mais. Porque o seu nublado não é escuro, o seu nublado traz paz, faz uma limpeza na vida da gente. Deixa a alma livre...
Nosso desafio agora é alcançar o futuro. Alcançar os sonhos que tivemos para nós. É buscar aquela melodia linda que sonhamos em cantar por aí. Daqui um tempo, estaremos nas estampas dos bosques, nos postes das ruas, nas marcas das esquinas. Porque nosso amor permanecerá, nos lábios, nos olhos, nas lembranças, nas histórias. Não quero que sejamos mais uma carta de amor não enviada, mas que sejamos o toque suave e o arrepio gostoso que o amor nos faz sentir. Quero que sejamos o friozinho bom no estômago como uma primeira expectativa alcançada. Quero que sejamos vivos, dentro do coração um do outro.
Sem definição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião para nós, viu?! É bom contar com a ajuda de quem nos lê. Os comentários sempre serão respondidos.
Relaxem e teclem conosco. :*

© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
Modificado por: Sâmela Faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo