Distopias,

#Resenha: Silo - Hugh Howey

março 16, 2019 Sâmela Faria 1 Comments


Título: Silo (Vol. 1)
Autor: Hugh Howey
Editora: Intrínseca
Páginas: 512
Ano de publicação: 2014
Onde comprar: Amazon

A História


O mundo está destruído lá fora. Toxinas invadiram o ar e está matando. Tudo está em ruínas, com seus montes amarronzados e sombrios. Onde sempre houve vida, hoje dorme um ambiente inabitável.
Mas se você é um sobrevivente é por estar no Silo.
Silo é uma construção subterrânea que se estende com a imensidão de vários andares, níveis e separações. O Silo foi construído justamente para que a raça humana não fosse extinta após a destruição da Terra. Silo é como um profundo e quase inacabável túnel, no qual vivem todos e únicos sobreviventes seres.
No entanto, para maior ordem e controle de tudo e todos, há regras rígidas. O descumprimento das regras gera consequências e punições, você pode, inclusive, ser enviado para a limpeza. A limpeza é a expulsão do Silo. Sim, você é enviado para morrer, mas, antes, precisa fazer a limpeza da tela que reflete o mundo do lado de fora como ele é. Mas será por que todos fazem a limpeza mesmo dizendo que não farão? Por que simplesmente não vão embora, se vingando por terem sido expulsos?
Tudo funciona numa “perfeita” harmonia... até que pessoas começam a morrer.
Lá vive também Juliette.
Juliette era apenas mais uma moça da Mecânica, até que se tornou alguém vital lá dentro. Deixando de ter sua vida pacata, mas cheia de importância para a sobrevivência do Silo, Juliette irá se meter em um perigoso jogo de poder, mentiras e verdades absolutamente inacreditáveis, que poderão colocar em risco sua vida e a de vários outros.
O lema aqui é um só: “Mentiras podem ser fatais, mas a verdade também”.



Capa, escrita e desenvolvimento


Não irei falar sobre os personagens, pois são muitos e não quero soltar spoilers.
A capa do livro é simples, porém bem bacana. Não é ilustrada especificamente de modo a formar uma imagem detalhada, mas eu gostei. Ela também tem textura aveludada.
A escrita desse livro é absurdamente detalhada. Você fica abismada(o) com tantos detalhes o autor consegue passar dentro de cada pequeno momento. Fiquei muito fascinada pelo modo com que ele consegue descrever tudo com tanto afinco, emoção e forma realista. Simplesmente incrível e impecável, nos fazendo estar dentro das cenas e das mentes dos personagens.
No entanto, a leitura pode ser um pouco mais lenta, principalmente no início, uma vez que você ainda não se habituou ao modo de narrativa nem ao mundo criado pelo autor. Além disso, pode ser que você se sinta a narrativa cansativa por vezes, mas não por ser chata e sim por ser muito intensa e por sugar totalmente nossa energia. Uma hora lendo Silo e você só leu, tipo, trinta páginas.
Outro ponto importante é que o livro é narrado em terceira pessoa, e não vejo como poderia ser diferente. Desse modo, somos levados a compreender o sentimento, o pensamento, os desejos, as ambições, os medos... tudo de cada personagem. A história de vida de cada um é retratada, uns de forma mais sutil e outros de forma mais intensa. Considerei isso um ponto alto da trama, pois não foca em um único personagem, o que também me levou a não querer descrever os personagens nessa resenha.
O desenvolver desse livro é de tirar o fôlego. As cenas são simplesmente muito bem exploradas, sempre com muita intensidade, detalhes e ação. É um livro cheio de reviravoltas, com vários segredos ocultos e sombrios sobre a sobrevivência humana, sobre a construção do Silo e dos ancestrais.
Os personagens são incríveis, cheios de personalidades e características, além de defeitos e ambições, nada fora do “ser humano” como ele realmente é. Juliette é uma mulher cheia de garra, inteligente, forte, corajosa e que dá sua vida para salvar os outros. Ela vai tentar desvendar cada pedacinho da história do Silo, tão bem encoberta. Irá tentar compreender mais sobre as mortes estranhas que aconteceram, mas jamais imaginou que os segredos poderiam ser tão avassaladores.
Uma regra clara e mais importante do Silo é: nunca diga que quer sair ou será enviado imediatamente para a limpeza.
Mas por que será que alguns dizem?


Conclusão


Num estilo pós-apocalíptico, Silo tem um universo fantástico e também inédito (pelo menos para mim) criado pelo autor. Com várias dimensões, Silo parece ser o lugar perfeito para que a raça humana continue sobrevivendo, sempre na esperança de um dia tudo isso acabar e tudo voltar ao normal. Mas será que isso é possível? O que há, realmente, por trás daquela tela? O que há lá fora?
Confesso que fiquei muito ansiosa para ler, depois fui arrastando no começo porque, como disse, é muito densa a leitura, porém tão implacável que só lendo para entender. É um mundo construído com genialidade, mas que continua tendo as imperfeições humanas ao redor. Cada nível do Silo é importante para a sobrevivência de todos, mas por que a TI é a mais, hã, digamos, valorizada? O que fazem? Por que é tão misteriosa?
Silo faz parte de uma trilogia. O segundo livro é Ordem e o terceiro é Legado. Se você gosta de distopia e ficção científica, vai se amarrar nessa leitura. Se gosta de histórias apocalípticas com certeza não pode deixar de conferir essa trilogia!
Recomendo muito para quem curte histórias cheias de reviravoltas, segredos, verdades, mentiras, intrigas e descobertas de tirar o fôlego.

Citações


            “Melhor se unir a um fantasma do que ser assombrado por ele. Melhor não ter vida do que ter uma vida vazia...”

            “Achou que ele também era um solitário, uma porca de tamanho esquisito que não se encaixava em nenhum parafuso.”

            “As pessoas partem e deixam para trás o dom do sustento, da vida. Elas abrem espaço para a geração seguinte.”

            “Nós nascemos, somos sombras, temos nossas próprias sombras e depois desaparecemos. O máximo a que se pode esperar é ser lembrado duas sombras depois.”

            “Ela era apenas o presente se arrastando, uma engrenagem na máquina, girando, os dentes de metal rangendo, até que o mecanismo se estraga, até que fragmentos de sua personalidade se soltam e estragam tudo, até que ela precisa ser retirada, jogada fora e substituída por outra”.

            “Ele estava preso no terror permanente daquela provação de sua adolescência. Seu corpo estava simplesmente envelhecendo em torno da carapaça congelada de um garotinho assustado.”
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Fotinhas lindas. Eu já li sobre esse livro algum tempo atrás e fiquei curiosa. Sua resenha me deixou ainda mais curiosa. kkkk

    ResponderExcluir

E você, o que achou do post? Me conte aqui nos comentários!
Deixe seu link para eu conhecer seu blog também. ;)