Por Sâmela,

#Resenha: De repente esclerosei - Marina Mafra

dezembro 27, 2018 Sâmela Faria 4 Comments


Título: De repente esclerosei - Um faz de conta de verdade

Autora: Marina Mafra

Publicação: Independente

Páginas: 269

Ano de publicação: 2018
Onde comprar: Amazon
 

“Somos resistentes à dor, mas precisamos admitir que a danada ensina como ninguém.”



Oi, gente! Essa resenha farei um pouco diferente. Costumo sempre especificar cada personagem, mas decidi que não farei isso para resenhar esse livro porque acho importante que sejam surpreendidos com o jeito de cada um, além disso, os personagens não são tão caracterizados no livro, o que deixa tudo com aquela pitada diferente. Imagine que o personagem pode ser você, sua irmã, uma amiga, seu próprio pai. Não sei, mas tente ler esse livro se colocando no lugar do outro. Então, terás certeza de que entendeu a lição importante que o livro traz.


A História

Mitali é uma moça que nunca desiste. Ela trabalha numa livraria, ama o que faz, ama as pessoas de lá e tudo mais. Mitali mora com sua melhor amiga, Aurora. E é com ela que divide todas as suas manias, falhas, perdas, desilusões. Elas são muito amigas, embora sejam tão diferentes.

Não, Mitali não tem mais ninguém além de Aurora. Aurora não tem mais ninguém além de Mitali e seu namorado, Filipi. Então, elas são o amparo uma da outra. No entanto, a vida é tão cheia de surpresas que tudo que acontece com Mitali é o pontapé inicial para uma série de mudanças. Algumas drásticas e felizes. Outras drasticamente tristes.

É quando ela conhece Dimitri em seu trabalho que as coisas começam a mudar. Dimitri é um cara na dele, atencioso, carinhoso, meio tímido e muito lerdo sem perceber. Mas Dimitri é ainda mais que isso: é o cara que faz com que Mitali preste atenção no amor. É o cara que mexe com seu coraçãozinho já tão amargurado e magoado.

Contudo, as mudanças não param por aí.

De repente, o pai de Mitali resolve aparecer em sua vida. Sim, o pai ausente durante anos. O pai que nunca demonstrou sentimentos. O pai que andou sumido durante esse tempo e que Mitali já estava esquecendo que existia. Mas ele não só existe como decide tentar recuperar um pouco do tempo perdido.

Só que, em meio a essa tempestade de surpresas, Mitali começa a perceber que seu corpo está dando sinais de alerta de algo que ela não faz a menor ideia do que é. Agora que começou a ficar realmente preocupada, ela terá de lidar com várias questões pela frente: a construção de um novo amor, a volta do pai, a amiga que tanto ama mas que às vezes rouba seu espaço e seu corpo que parece não mais lhe obedecer.

Mitali vai ter que aprender que a vida pode ser surpreendente de um jeito ruim ou não, mas que somos nós quem resolvemos o que fazer com as coisas que acontecem conosco.

Capa, escrita e detalhes

A capa desse livro ficou surpreendentemente linda. Um toque tão místico de cores, algumas em tons claros, meio que em tons pastéis. Não sei se foi o significado que a capa transmite à compreensão dos fatos que o livro traz, mas sei que achei a combinação perfeita. Amei muito. Aliás, toda diagramação está impecável.

Vamos lá.

Falar sobre a escrita da Mah é falar sobre uma leitura que flui. Sabe quando você começa a ler um diário que é escrito de forma pessoal, intrigante e de forma que acalenta quem lê? Por vezes, pensei estar lendo um diário perdido no tempo, mas a questão é que é tudo tão real (embora seja um livro fictício, mas baseado na própria vida da autora).

Se vamos falar de questões técnicas, é isso: Marina escreve de forma simples, acolhedora, sem enrolação, sem aqueles imensos parágrafos exaustivos.

Se formos falar de forma emocional, devo acrescentar: Marina escreve de dentro para fora. Li seu livro como se eu estivesse lendo sua alma. Senti toda a situação nos poros do meu corpo que se arrepiavam com todas as descobertas e as piores passagens da vida de Mitali. Mas senti a mesma sensação, embora com lágrimas sorridentes rolando pelo rosto, quando as coisas boas surgiam.

A verdade é que fiquei muito honrada de ter tido a oportunidade de ler De repente esclerosei simplesmente porque senti que o objetivo da autora foi alcançado: me senti muito mais conscientizada sobre a Esclerose Múltipla.

A Marina é a primeira pessoa que conheço (mesmo que só pela internet) que possui a doença, mas fiquei pensando: será que outras pessoas também passam por isso e estão ao meu redor sem que eu saiba? Por que se escondem? E depois me (re)questionei: por que deveriam se mostrar em um mundo que não está preparado para entender a diferença? Vemos diariamente pessoas que fogem do padrão (escroto) estabelecido pela sociedade de normalidade. Mas o que é, de fato, essa droga de ser normal enquanto somos um povo tão diferente? Nos “achamos” a favor da inclusão enquanto agimos diariamente (mesmo que em pequenos atos) de forma excludente e até desumana.

Eu pesquiso questões inclusivas/excludentes no ambiente educacional nos meus estudos, além de ter um pai deficiente físico, portanto, o livro da Mah mexeu absolutamente comigo e minhas visões de mundo.

Temos que ler De repente esclerosei e, mais uma vez, nos colocarmos no lugar do outro. Sem julgar. Sem questionar. Vamos ler Mitali, mas também deixar que Mitali nos leia.

Se sentir medo ou vergonha de ser lido, saiba que precisa reformar seu próprio eu.

Conclusão

Mah, só quero dizer que amei muito ter podido ler essa sua história tão emocionante e cheia de mudanças e que também deixa aquele quentinho no coração. Obrigada por compartilhar conosco sua história, sua alma, um pedaço de sua existência. Agradeço por ser você a pessoa que me abriu os olhos para um lado que eu não conhecia.

Obrigada por nos mostrar que é importante saber que a gente recebe da vida aquilo que não controlamos, mas que podemos buscar sempre o melhor de cada situação. E que mesmo que hoje tenha sido terrível, amanhã ainda podemos tentar melhorar. Temos sempre que buscar ser melhor a cada dia, mesmo que a vida se mostre injusta, complicada, triste e difícil demais. Nós carregamos o peso que às vezes não escolhemos carregar, mas nós escolhemos o que aquilo pode nos tornar. Sua história me mostrou isso claramente.

Eu recomendo muito essa leitura para quem, assim como eu, gosta de histórias emocionantes e que te fazem pensar, refletir, querer mudar. Tem de tudo nessa história, então agrada a todo público e, mais importante, ajuda a conscientizar sobre uma doença que pouco se conhece: tem romance, tem amizade verdadeira mas que também sai do eixo às vezes, tem relação familiar conturbada, tem animais lindos e fofos, tem livraria e pessoas que queremos que morem na gente e muito, mas muito chá.

Mas também tem os momentos que nos tornam mais fortes, assim como nossa protagonista é. Mitali é a pura fortaleza em forma de pessoa.

Obrigada por me mostrar, Mitali, que a nossa força está em nós.

Citações favoritas

“Hoje eu consigo entender que não existe situação que não possa ser contornada quando temos o presente de viver. Viva, se não por você, por quem não possa mais escolher.”

“Cada um tem a sua porção de lutas, só que isso não define quem somos. Há uma vida além dos problemas e ela depende de você para acontecer”.

“O tempo passa depressa quando tememos o futuro e nos guia diretamente para o alvo dos nossos pesadelos.
Comentários
4 Comentários

4 comentários:

  1. Eu acabei de ler essa resenha e tô aqui pensando em como começar a te agradecer.

    Sabe, eu não sou autora, Sâm e quando olho para o livro acho tudo amador demais. Tenho revisado o texto e tentado melhorar pra uma edição nova, mas ler suas palavras me faz pensar que talvez a simplicidade tenha seu charme. hehe Mais que isso, me faz agradecer por ter passado por cima das minhas inseguranças e ter publicado DRE mesmo assim.

    Você, com essas suas palavras que sempre amei, me fizeram acreditar que fiz algo realmente bom, até além do que eu esperava, já que eu só queria mostrar como são as sensações de ter esclerose múltipla.

    Eu só queria te abraçar agora, Sâm. Não lembrava se tinha falado do seu pai antes... nem sei o que dizer sobre isso. Eu agradeço todos os dias por ser comigo e não com quem eu amo. Não sei o que faria vendo alguém que eu amo tendo dificuldades. Meudeus! Você é maravilhosa! Sério! Obrigada por existir. O mundo fica melhor com você.

    Te mandei direct. Me responde quando puder?rs

    Beijo gigante 💓

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mah, sua lindaaaa! O encontro que mais estimo em minha vida é o meu e o seu. Quero muito poder te conhecer um dia! Você é maravilhosa e me ensinou muito sobre humanidade, tanto em nossas conversas quanto em seu livro. Quero que o mundo inteiro leia DRE! Você é luz por onde passa, precisa iluminar a vida de muitos com sua escrita iluminada também.
      Muitíssimo obrigada por essa história, por escrever um pouco de sua história e compartilhar conosco!
      Já te respondi e estou muito agradecida!
      Beijão, lindona.
      Abraço imenso! <3

      Excluir
  2. Que resenha mais lindaaa.
    Achei de uma delicadeza só. Dá para ver que é conhecida da autora também, não só pelo comentário acima, mas pela resenha tão delicada e sincera.
    Amei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Loh, é aquela que te falei! Hahaha
      Você precisa ler. É lindo! <3

      Excluir

E você, o que achou do post? Me conte aqui nos comentários!
Deixe seu link para eu conhecer seu blog também. ;)