Conheça nossa página

Ela te transformou em poesia

Imagem via Pixabay

Sabe quando toca a primeira nota daquela música que você gosta? É quando o coração aperta de um jeito bom. É quando você sonha em caminhar pela estrada, livre. Até deitar na grama e colocar-se a admirar o brilho das estrelas, como se o tempo fosse parar.

Desse sentimento tão puro e intenso, é tudo que tenho quando te vejo. Quase sem acreditar que, no meio da tempestade, eu encontrei aquele raio de sol a iluminar o único trevo de quatro folhas daquele lugar. Ali eu sabia que ele não viveria, não sabia como faria, mas tinha certeza que valeria a pena ficar na chuva; costumo dizer que ela tem o dom da cura. Cura a alma e aquece o coração de quem tem ao lado um abraço que, por nada, dá vontade de soltar.

É como se todos a volta estivessem assistindo aquela história da arquibancada, esperando aquele gol que decide o jogo. Era óbvio para todos, menos para eles, até que se permitiram olhar daquele jeito diferente. Até que se permitiram o abraço mais apertado ou aquele primeiro beijo... Nunca me pareceu tão certo. Daquela noite para os seguintes dias, em sua maioria era intenso, mas cada vez de um jeito. De todos aqueles momentos, do jeito como mesmo no escuro era capaz de traduzir aquele olhar, cada toque era possível sentir o tamanho do cuidado e o carinho... Ele encontrou a inocência onde ninguém mais acharia, e eles ficariam ali a noite inteira.

Quando a voz não dá tom a conversa é porque o silêncio do carinho daquele olhar diz muito. É que quando os olhos se encontram e nasce um sorriso espontâneo, na mesma sintonia, não há necessidade de dizer uma frase. É que, por mais que a gente fale, ainda somos capazes de provar, sem perceber, em cada pequeno gesto como é bom ouvir e dizer: eu amo você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E aí? O que achou do post? Gostou? Tem alguma crítica construtiva ou dica? Deixe nos comentários! Lemos e respondemos a todos! Ah e deixe o link do seu blog para que possamos te conhecer melhor. Obrigada pela visita e volte sempre.

© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
Modificado por: Sâmela Faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo