Conheça nossa página

#Resenha: Vingança – Catherine Doyle



Imagens via arquivo pessoal
Título: Vingança (Série Sangue por sangue, livro 1)

Autora: Catherine Doyle

Editora: Agir Now

Páginas: 288

Ano de publicação: 2015

Nota da leitura: 5/5

Onde comprar: Amazon / Saraiva
👉 Skoob

A História

Imagine o quanto sua vida pode mudar após seu pai ir preso acusado de assassinato em uma cidade onde todo mundo se conhece? Como será sua vida após esse episódio com uma das pessoas que mais ama na vida atrás das grades? E a segunda pessoa que mais ama sofrendo em silêncio?

Sophie é uma adolescente turrona. Ela é do tipo que não se esconde, apesar dos acontecimentos. Sophie está sofrendo com a prisão do pai, mas não se deixa abater, até porque nem pode. Após seu pai ir preso, ela ficou responsável pela lanchonete junto com o tio, irmão de seu pai, até que seja maior de idade e herde tudo, no entanto, talvez isso não esteja em seus melhores planos. Incapaz de deixar seu tio na mão e o negócio do pai ir por água abaixo, a jovem faz de tudo que pode para ajudar, então está sempre trabalhando e estudando, sem muito tempo para as coisas boas da vida que, no momento, sequer acredita existirem.

Até que ela conhece Nic.

E se você pensou que sabe o final da história, se enganou feio. Nic não vai trazer o lado bonito para a vida de Sophie como a gente imagina logo assim que ela põe seus olhos sobre ele. Nic vai acabar de destruir tudo, mas a gente torce para que algo bom saia dessa história toda.

A verdade é que Nic carrega mistérios. Afinal, ele mora na casa “assombrada” agora e ninguém sabe como ele e os outros quatro irmãos estranhos vieram parar ali, muito menos o motivo. No entanto, Sophie pode sofrer ainda mais com a descoberta, porque é claro que algo muito errado está acontecendo naquela casa. Naquela família estranha. E ela vai querer descobrir. Será que tem a ver com ela e o pote de mel?

E é aí que só podemos torcer para que ela não tenha um final triste, ou melhor, para que ela não tenho um fim.


Personagens principais

Sophie Gracewell é uma garota turrona que vive na defensiva já aos dezesseis/dezessete anos. Ela é arrogante de uma forma sincera e suave. Seu pai foi preso acusado de assassinato e, desde então, ela tem estado muito angustiada com a vida. Amava seu pai, mas não sabia o que pensar sobre tudo. E embora troque cartas com ele para manter contato, isso não basta. Ela sentia sua falta mais do que pensou que poderia sentir. E ainda há sua mãe, que mergulha no trabalho para não afundar na dor de pensar em seu marido atrás das grades.

Sophie também sofre discriminação social. Ninguém mais lhe trata normalmente, pois, para todo mundo, ela sempre será a filha do assassino. Com apenas uma amiga, ela vai levando os dias esperando sua vida voltar ao normal após a pena de seu pai. Então é basicamente: trabalho e casa. Até que um dia ela conhece Nic.

E. Tudo. Muda. Completamente.

E talvez não seja para melhor.

Nic é alto, moreno e bonito, como todos os seus irmãos. Ele tem dezessete anos e seus cabelos batem abaixo da orelha, onde fazem cachos. Seus olhos são castanhos e quase maldosos. Mas ele é uma boa pessoa. Ou pelo menos é o que Sophie pensa logo assim que o vê. Ele também é muito fiel à família, aos seus irmãos. É misterioso e cheio de segredos que podem simplesmente destruir sua “carinha” de anjo. Ele vai se sentir atraído por Sophie, no entanto, sua regra de vida vai falar mais alto, silenciando os sentimentos.

Luca é um cara com o mesmo físico que Nic, mas tem olhos azuis e cabelos bagunçados caindo nos olhos. Ele é um dos irmãos de Nic, só que, ao contrário dele, Luca carrega um olhar sombrio. Sua aura não é boa, e Sophie percebe logo assim que o vê. Ele é maldoso. Ele é frio. Os dois vivem se alfinetando, diante de muita ironia e farpas educadas jogadas um contra o outro. Ele é o cara  de quem Sophie manteria distância, se não estivesse o tempo inteiro com Nic.

Personagens secundários

Millie é a melhor-única amiga de Sophie. Ela é voluptuosa e bem mais despojada; é uma boa pessoa e faz de tudo para ajudar Sophie. Ela também trabalha na lanchonete. É meio maluquinha, está sempre de olho em alguém, paqueradora do jeito que é. Logo de cara, ela se interessa por Dom, um dos irmãos da casa assombrada.

Jack Gracewell é o tio de Sophie, irmão do pai dela. Ele ficou responsável pela lanchonete junto com Sophie, prometendo protegê-la. É o tipo de tio que não é de demonstrar afeto por palavras, mas atitudes, com presentes caros e folgas inesperadas. Ele também é imprevisível, pois vira e mexe some, apenas se comunicando por celular, mas Sophie gosta dele do jeito que é.

Celine Gracewell é a mãe de Sophie. Ela tem cabelos loiros e curtos. É uma mulher forte, apesar de tudo o que tem vivido com seu marido preso. Ela trabalha muito, como costureira, e sempre tem grandes encomendas. Ela também repudia o tio Jack de Sophie, seu cunhado, pois acredita que ele seja culpado por seu marido estar onde está.

Felice é tio dos garotos. Ele é quem, aparentemente, comanda a tropa. Pois é um cara que impõe medo em qualquer um. Ele também tem uma criação bizarra em casa, é frio e calculista, com olhares fulminantes que aterrorizam qualquer um.

Dom e Gino são os outros dois irmãos. Gino é um distraído que se entrete  facilmente, principalmente com coisas brilhantes. Dom é mais sério, e é por quem Millie tem uma queda.

Sobre o último irmão, decidi não contar, pois acho que seria spoiler. Apenas leia e tire suas conclusões sobre ele.

Capa, escrita e detalhes

Eu amei a capa e toda a personalização do livro! Simplesmente linda! Inclusive, eu comprei só pela capa. No entanto, a sinopse está instigante também. Por dentro, o livro tem detalhes fofos, em cada capítulo, há um título que te deixa curiosa(o) pela leitura.

O livro é escrito em primeira pessoa, e contamos com a Sophie para contar a história. A escrita é muito fluída. Rápida e leve, sem muita enrolação. Eu nunca tinha lido nada dessa editora e nem autora, mas já adorei como a história foi contada clara e objetivamente, cativante. Eu não conseguia parar de ler. Simplesmente me prendeu do começo ao fim. É um tipo de livro que já te prende nas primeiras páginas e você só larga quando chega na última.

Os detalhes da história são muitos, pois o livro conta com várias reviravoltas. Eu fiquei me corroendo por dentro, porque, de fato, são fatos previsíveis às vezes, mas a gente nunca tem certeza de nada. Boa parte da história eu consegui perceber como poderia ser, mas não fazia ideia de como tudo ia se desenrolar. E foi angustiante não ter certeza. Foi o que me fez engolir o livro em poucos dias.

O livro conta com vários acontecimentos marcantes, que nos levam a juntar peça por peça até que consigamos algo em que apostar, sabe? Mas, cuidado, não faça apostas altas, pois tenho certeza que vai se surpreender. É um romance, mas com muito suspense. Só o fato de envolver um assassinato e mistérios já nos deixam com o coração na boca querendo saber tudo.

Os personagens são muito intensos. Todos, ou melhor, cada um deles tem sua singularidade e sua característica é mantida no livro, mas, obviamente, a gente pode se enganar com as aparências. Prepare-se.

Meu ponto negativo vai para o romance em si que é muito morno, pois quem ganha nossa atenção nem é Nic, mas sim seu irmão Luca que não gosta de Sophie. E também vai para o final que, apesar de ter me surpreendido muito, acabou de uma forma pouco justa para toda a história que foi construída. Não achei que ali era o fim. Ainda não o aceito acabar ali.

Porém, pesquisando mais um pouco, fiquei sabendo que esse é apenas o primeiro livro da série Sangue por Sangue. Então, o final é justificável, pois continua...

Conclusão

Com um cenário eletrizante e cheio de reviravoltas, mesmo com um romance em si mais morno que o esperado, Catherine ganha nossa atenção completamente com o livro. O livro nos transmite inúmeras reflexões sobre a vida, em um submundo que muitos não conhecem. Afinal, quem decide quem pode morrer ou não? Fazer o mal por um bem maior é justificável? O quanto conseguimos esconder quem realmente somos?

Segredos de família podem ser fatais, portanto, mencionando Romeu e Julieta, Vingança cativa por ser um pouco semelhante à obra. Onde há famílias rivais, poder e escolhas difíceis.

Eu super recomendo o livro, principalmente para quem adora um suspense. Apesar do livro não ter um enredo inédito, ele merece destaque só pelo fato de ter trazido uma bela construção do assunto central, dos personagens e seu amadurecimento e verdadeiros impasses reflexivos sobre a vida.

E sobre quem vive.

Citações favoritas

“Ele pode ser difícil e imprevisível, mas quando entra na vida de alguém, entra de verdade, como uma pita que faz parte de nós.”

“As características que definem quem somos e como nos sentimos de verdade. Tento olhar sob a superfície.”

“A vida é tão complexa que mal conseguimos ser a pessoa que deveríamos. Em vez disso, usamos máscaras e criamos barreiras para lidar com o medo e a rejeição, o arrependimento, a ideia de que alguém talvez nos ame como somos em nossa essência, que alguém talvez não entenda motivações. Quero estudar a verdade da vida, não a superfície. Há beleza em toda parte; mesmo na escuridão há luz, e é a forma mais rara.”

“Não podemos impedir a inevitabilidade da morte. Ela chega de um jeito ou de outro e, no final, nos leva para o mesmo lugar. Sentir muito pela morte é como sentir muito pelo sol brilhar ou a chuva cair. As coisas são o que são.”

“Segura na ausência completa de tudo, me entreguei ao vazio, onde memórias semiesquecidas eram misturadas a pesadelos aterrorizantes, e eu não sabia mais o que era real e o que era imaginação.”

Nota da leitura:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

E aí? O que achou do post? Gostou? Tem alguma crítica construtiva ou dica? Deixe nos comentários! Lemos e respondemos a todos! Ah e deixe o link do seu blog para que possamos te conhecer melhor. Obrigada pela visita e volte sempre.

© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
Modificado por: Sâmela Faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo