Conheça nossa página

#5em1: 5 títulos que não me representam (Tag)


Oi, gente! Tudo de boa? Esses dias respondi a uma tag que consiste em mostrar alguns títulos que lhe representam, que tem tudo a ver com você. Leia aqui. Hoje, trago o oposto, ou seja, títulos de livros que NÃO me representam. Vamos lá?
1- Sem juízo – Emma Chase
Acreditem se quiser, eu sempre fui uma pessoa extremamente ajuizada. Talvez eu me arrependa um pouquinho? Talvez. No entanto, agradeço muito mais, pois eu sou do tipo que gosta da organização e ser sem juízo é um pouco o oposto disso. Isso, claro, a meu ver. Então, eu sempre fui daquelas quietas e tímidas, que não gostava de sair para festas e multidões e, já disse tímida? E é claro que já fiz umas loucuras na vida, mas nada que deixasse ninguém de queixo caído. Então, sem juízo mesmo eu nunca cheguei a ser. Ainda…
2- A mulher silenciosa – A. S. A. Harrison
Silêncio? Só se for para pensar, escrever, ler… mas o que não sou, de fato, é silenciosa. Jamais. Nunquinha. Em momento algum da minha vida. De forma alguma mesmo, sabe? Pode parecer exagero, mas, sério, eu sou muito barulhenta. Eu falo alto o suficiente para um batalhão ouvir. Vivem fazendo aquele barulho insuportável para mim, do tipo “Shhhhhhh!” com o dedo na boca. Me sinto uma criança escandalosa quando fazem isso, então reduzo a voz, mas, de repente, estou aos berros novamente. E isso não é de propósito de jeito algum, é só que eu me empolgo e acabo perdendo o controle. A mulher silenciosa aqui não existe.
3- A garota perfeita – Mary Kubica
Preciso falar algo? Sabe a perfeição? Estou nem aí para ela faz tempo. Quando eu era mais nova, porque se eu disser pequena vão pensar que foi atualmente, costumava me preocupar em ser perfeitinha. Andar arrumadinha por causa do que iam dizer. Esconder as unhas sem pintar. Eu detestava andar com bolsa, mas “mocinha tem que usar bolsa para tudo” (pausa para eu revirar os olhos e fazer vômito), então eu usava para não ficar feio. Hoje? Sou o oposto dessa minha busca pela falsa perfeição. Porque perfeição não existe e somos nós que a idealizamos em nossa cabeça e passamos a nos sufocar em busca dela. Liguei o foda-se. A garota perfeita de antes não existe mais, agora sou a garota que se aceita e gosta de como é, inclusive de suas imperfeições.
4- Peça-me o que quiser – Megan Maxwell
Nunca em toda minha vida irei dizer isso a alguém. E o medo? E se a coisa for fora do meu alcance? E se eu tiver que matar, roubar, destruir? Então, não. Esse título não me descreve e desde que o vi pela primeira vez, ele super me incomodou, sabe? Quem diz em sã consciência“Peça-me o que quiser” para alguém? Eu sei que pode parecer que esse título está aqui apenas para preencher o item quatro e está correto, mas está aqui também porque ele sempre me incomodou. Não me representa em nada. Lidem com isso.
5- Sem vergonha – Julianna Costa
Leu o item 1? Tem tudo a ver com esse aqui. Sabe quando disse que sou ajuizada? Talvez seja efeito colateral por eu ser tão vergonhosa. Gente, sério, sou um bicho do mato, acreditem. Quando mais nova, eu mal falava com as pessoas. Todas me assustavam e minha mente mirabolante funcionava descrevendo as possíveis características que cada uma pudessem ter. E, claro, eu me assustava com meus próprios pensamentos. Sou tímida extraordinariamente. E nem sei se os termos combinam, maaaaas, é a mais pura verdade (percebeu que acabei de citar outro título de livro? Sou tão viciada ás vezes...). Então, para finalizar, sem vergonha jamais serei.

E aí, gostaram? Respondam também e deixem o link aqui nos comentários para que eu possa ler, por favorzinho? Adoraria!

2 comentários:

  1. Que tag legal hahaha Eu achei as suas respostas muito boas e olha que me identifiquei com a maioria das suas respostas! Nem tem tanto tempo assim e eu falava tão baixinho com as pessoas que não conhecia direito que era quase impossível manter a comunicação por mais de alguns minutos hahahahahaha Acho que evolui bem, esse ano até me arrisquei a gravar alguns vídeos! :D Beijos ♡
    Colorindo Nuvens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHA. Que bom que gostou e se identificou! É ainda melhor saber que tem mudado também. Timidez é um atraso de vida muitas vezes...
      Eu ainda não cheguei nesse nível de vídeo! Hahaha. Quem sabe um dia.
      Parabéns pela iniciativa e obrigada pela visita.
      Volte sempre.
      Super beijo,
      Sâm.

      Excluir

E aí? O que achou do post? Gostou? Tem alguma crítica construtiva ou dica? Deixe nos comentários! Lemos e respondemos a todos! Ah e deixe o link do seu blog para que possamos te conhecer melhor. Obrigada pela visita e volte sempre.

© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
Modificado por: Sâmela Faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo