Conheça nossa página

Se for pra ficar

Tocava uma música no rádio do carro. Havia pingos de chuva no vidro, batendo de leve, querendo me dizer que o dia lá fora, talvez, não estivesse muito bom. Fazia um friozinho gostoso e eu pude sentir o prazer de usar mais uma vez a boina que me deu no natal, há dois anos. Eu podia sentir o gelo entrando pela fresta entreaberta da janela. Mas não era o carro que estava gelando, era o coração.

Embora a vida estivesse indo, eu sabia que uma parte minha estava parada. Tinha ficado lá atrás. E apesar de um riso aqui e outro acolá aparecer vez ou outra, eu sabia que, no fundo, bem lá naquele quarto escuro e grande, naquela cama vazia e fria, eu te esperava. Ou ao menos esperava que alguma parte sua necessitasse de alguma parte minha também.

Não era o gelo do lado de fora  que me fazia tremer, era o gelo que vinha de dentro que transformava o que restou aqui fora, o mundo real, em uma eterna noite de filme. Quase um terror. Desse que a gente sempre pensa que acabou porque surgiu uma tela preta, mas aí, de repente, entre seus batimentos acelerados, seu alívio voltando de fininho e aquela droga de incerteza se deve mesmo acreditar que acabou e - pá! - tudo volta de novo. E parece nunca ter fim.

Exatamente como a gente. Um efeito sanfona que não sabe se vai ou racha, se diz adeus ou fica.

Mas, por favor, se for pra ficar, deixe a bagagem lá fora. Os medos bem longe e a incerteza pelo caminho. Se for pra ficar, não traga suas dúvidas, venha puro, mesmo que não seja um bom otimista, poderá sentar no sofá maior, como gosta e jogar as pernas para cima do braço, forjando uma posição completamente despreocupada. Eu também sei fingir que acredito, acredite. Se for pra ficar, cara, destranque as janelas emperradas desse coração duvidoso.

Se for, realmente, querer ficar por aqui, saiba que não mais irei aceitar ver seus passos por aí. Longe dos meus. Sem pretensões de voltar pela mesma porta que saiu. Se for pra ficar, não anote recados na geladeira, vamos cuidar para que nossos planos, pelo menos dessa vez, não sejam escritos, mas cumpridos. Começando por esses seus passos por essa mesma porta em que me disse adeus.

E, principalmente, se for para ficar, não diga mais adeus. Fique, mas fique pra valer, sem essa de que vamos ver. Se for pra ficar, apenas não vá. Não sem mim.

2 comentários:

  1. Ahhhhh eu amo teus textos, são tão reais, inspiradores, parece que você está dentro da "história", eu me sinto sempre as sim quando leio eles. Teus textos me inspiravam muito pra mim escrever, só pra você saber rs.
    Seu blog está lindo! *-*
    Beijoos.
    Www.keep-calm-girls.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Isa!
      Fico tão feliz em saber que ainda me aprecia! E mais ainda em saber que já fiz parte de suas inspirações!
      Obrigada, lindona! Mesmo!
      Volte sempre, viu?!
      Beijos,
      Sâm.

      Excluir

Deixe sua opinião para nós, viu?! É bom contar com a ajuda de quem nos lê. Os comentários sempre serão respondidos.
Relaxem e teclem conosco. :*

© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
Modificado por: Sâmela Faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo