Conheça nossa página

Somos tão antagônicos



Nossos passos foram pegos pela surpresa do destino, em um dia, onde nada do que esperávamos, era de nos encontrarmos. Coisas estranhas acontecem e nos fazem crer em algo que jamais teríamos imaginado que poderia vir a acontecer. E aí, você começa a acreditar no amor, nas pessoas, nos sonhos, e em tudo que move o ser humano – ilusoriamente ou não. E quem é que disse que nós não daríamos certo? Todo mundo. Um de cada vez, entre segundos e minutos contados no relógio. Parece que grande parte da humanidade já desistiu de investir em seu cupido errante – se é que existe alguém que ainda acredita nele e nas suas supostas flechadas. Outra grande parte do universo incontestável onde pousamos, já nem se preocupa mais, e leva a vida de uma forma mais modesta e “To nem aí, o importante é ser feliz!”.
E é. O importante é a cumplicidade de cada ser vivo com a busca intensa e incansável da tal da felicidade. E nós conseguimos. Esquematizamos tanto o que poderia vir a dar errado que, confesso, tremi e quase tombei na cama e nunca mais sai de lá. Só que havia algo que me perturbava em você, o quanto o meu oposto você conseguia ser? Inadmissível, porém gostoso de conviver. Empatando o nosso amor, havia a nossa ilustre oposição – sempre – com a razão superior, porém, nós sobrevivemos. Entramos nesse modo contrariado de cada um e com isso, percebemos e aprendemos a lidar com o intuito, impulso, e opinião que pudéssemos liberar vez ou outra. Houve guerra, houve pancadaria – mesmo que em palavras – , mas estávamos lá, pendurados um na janela do coração do outro enquanto a bondosa raiva passava. E era tão rápido que nós mesmos nem percebíamos.
Amadurecemos, porém, os nossos modos antagônicos continuaram, só que dessa vez, um pouco mais tolerante. O importante mesmo é a troca de experiência. Eu gosto de cores vivas e você de cores mortas – preto e branco me parecem assim. Isso não é problema, isso é solução. Eu estou colorida e você quebra o meu tom. Também não nego que, quando o assunto é o mais profundo dos assuntos e a nossa opinião a mais contrária dos contras, o bicho ferve. No entanto, no jus do respeito, o debate fica ainda mais intenso e podendo até ser tirado como lição. É que um sempre aprende um pouco mais com o outro.
Você tem aquilo que eu não tenho e que, sem perceber, faz falta em mim. Sou o seu avesso mais estranho e você até sabe lidar melhor comigo assim. Eu sei lá, todo mundo sempre procura alguém que seja parecido com eles mesmos, mas eu não procurei por ninguém e ainda ganhei você e, de brinde, você me completou. E me fez te amar mesmo com toda bagagem diferente da minha. 

Pois é, eu gosto do seu oposto, porque ele se encaixa perfeitamente em mim. 
- Sâmela Faria
Você também pode me ler no Superela!

2 comentários:

  1. "Você tem aquilo que eu não tenho e que, sem perceber, faz falta em mim." Lindo texto parabéns :D
    http://golivercacau.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

E aí? O que achou do post? Gostou? Tem alguma crítica construtiva ou dica? Deixe nos comentários! Lemos e respondemos a todos! Ah e deixe o link do seu blog para que possamos te conhecer melhor. Obrigada pela visita e volte sempre.

© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
Modificado por: Sâmela Faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo