Conheça nossa página

Por bem ou por mal



Eu não sei você, mas eu parei por aqui. Foram anos de luta e estou arredando o pé, dando meia volta, pedindo para sair. Foram tempos e mais tempos, só que agora não dá mais. Hoje está sendo a última vez, sabe? Mesmo que eu já tenha dito a mesma frase na semana passada. No mês anterior, ou até mesmo ano retrocedente. Sinto que agora já era mesmo. Há uma necessidade de parar um pouco e colocar a cabeça no travesseiro sem aquele peso diário de preocupações abusadas e em vão, na maioria das vezes. E você estava certo desde sempre, eu deveria ter escutado mais e dado um basta muito antes.

Entretanto, não me arrependo. Chega uma hora que - mesmo que você se ache no direito de continuar - cansa. E não é mais preciso de conselhos e que todo mundo venha te dizer que não é bem assim que funciona. Um dia você percebe, cai na real, se ilustra dentro do seu próprio interior e nota cada falha simples, mas que precisam de reparo. Sobretudo, comigo não foi diferente. Demorou. Porém hoje estou no retorno, na jogada, no caminho onde deveria estar. E você não precisa mais se preocupar com isso. Não precisa mais vir correndo me dizer e implorar para parar. Chega de engatinhar com as pernas dos outros não é? Indico agora meus próprios princípios para você, olha só que diferença.

E como você estava certo  quando me olhou chorar por aquilo que não tinha mais volta e disse que eu estava chorando à toa. Quando me viu tremer de raiva por coisas banais e me chamou de boba. Quando eu me submeti em fazer de tudo, por pura mania de querer agradar ao mundo e você veio batendo a porta na minha cara dizendo que ia embora porque não aguentava ver isso. Você estava tão certo que eu não pude notar essa sublimidade em momento algum. E quando me disse que meu ciúme estava demais, que eu não tinha limites. E que eu não precisava me preocupar tanto assim com você,  por que você sabe o que está fazendo. Nas horas de desespero, quando me deu seu ombro e disse que tudo ia passar. Você sempre esteve certo.

Estou aqui agora, retrocedendo. Parada em um beco onde me perdi. Achando que veria a maldita luz no fim do túnel, entretanto só há escuridão. Negrura. E quando você enxerga seus arranhões da vida, sente-se mal e aliviada simultaneamente. Um alívio indescritível por saber que abri os olhos e fiz-me madura diante de algo que eu jamais enxerguei. E a triste angústia em saber que tudo poderia ter sido diferente. É assim que surge o que se tira de aprendizagem dos maus passos. E é por isso que eu tenho certeza que a gente vai dar certo. Certo meio torto. Meio sem condição alguma sabe? Mas vamos lá, estaremos no bem, ou até mesmo no mal, mas estaremos juntos. 

6 comentários:

  1. Que lindo sâ, cada vez to mais apaixonada pelos seus textos ^^
    E é fato, chega uma hora que a gente começa a perceber coisas que antes não conseguíamos.
    beijOs, http://imperfeitasperfeitas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Alexia sua fofa! Muito obrigada pelo carinho! <3
    Nossa mente vai se abrindo... é isso aí!
    Beijos linda, volte sempre!

    ResponderExcluir
  3. Se tiver a chance experimente, porque aquele batom é divo! hahaha! ;)

    Gostei do texto! É baseado em sua vida? Sempre fico curiosa para saber se é inspirado no real!

    Ótima segunda!

    Beijo! ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amanda, fiquei com vontade mesmo!! rs'
      Na verdade não literalmente, em pequenas partes sim, em outras já fluiu do inspirado mesmo! Nem sempre escrevo fatos próprios. E na maioria, faço uma mistura! rs'
      Obrigada flor, para você também!
      Volte sempre!!
      Beijos

      Excluir
  4. Adorei, mesmo! Já pensou em escrever um livro? Acho que daria super certo *-* Beijos
    http://minhasecretapoesia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Karen, quem sabe um dia né?! rs'
      Volte sempre!!
      Beijos

      Excluir

Deixe sua opinião para nós, viu?! É bom contar com a ajuda de quem nos lê. Os comentários sempre serão respondidos.
Relaxem e teclem conosco. :*

© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
Modificado por: Sâmela Faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo