Carta para quem vem depois de mim

by - junho 05, 2020

carta enviada


Caro próximo(a) inquilino(a),

Eu poderia começar esta carta pedindo para você cuidar bem dessa casa ou desejando que você tenha um signo que indique o quão cuidadoso ou cuidadosa você será. Mas você pararia de ler, não é? Então, o que decidi dizer é mais do meu íntimo do que da casa em si. É sobre sentir.

Quando vim para cá, eu não tinha muitos anseios além de ter aquela janela enorme ali na sala, onde eu pudesse ler nas tardes de domingo. 

Eu desejava aquela copa com divisa pra cozinha, com aqueles banquinhos altos para que eu batesse papo com a visita enquanto cozinhava uma gororoba qualquer. Eu desejei aquela vidraça no banheiro, o conjunto de pia, box e armário dessa cor meio Gold.

Pensei em todas as cores de cortina que combinariam com essa parede chapiscada do quarto. Programei como seriam o carpete da sala, o melhor sofá de quina, a mesa de centro, as almofadas. Até mesmo esse piso, no qual seus sapatos estão apoiados, foi minuciosamente pensado de modo que combinasse com o clima clean que eu quis dar à casa.

Eu achei que havia pensado em tudo, sabia? E você, se olhar a sua volta, vai concordar comigo, certo? É uma casa linda, bem localizada, com enormes chances de durar uma vida. 

E é sobre isso que eu quero falar: 

uma casa talvez dure uma vida, mas quem a torna um lar somos nós e não, nós não temos esse privilégio.


Eu esqueci de pensar em nós. 

E com nós, não quero dizer eu e quem mais viveu comigo nesse teto, mas eu, quem viveu comigo e você. É nisso que você deve pensar. Não que as cores, as janelas, os móveis e cômodos não sejam importantes, mas o que realmente vai tornar tudo isso um lar, é você e sua família ou você e você.

Querida pessoa que vem depois de mim, desejo que você programe tudo isso que eu programei, até mesmo mude as minhas opções, troque tudo do lugar... Não importa. 

Mas nunca deixe de pensar nas emoções, nos sentimentos, nos desejos, sonhos, planos que serão compartilhados aí dentro. 

Não são os móveis os mais importantes, são as vivências. 

Valorize o conforto, sim, mas acima disso saiba que só é confortável o suficiente quando há com quem compartilhar (mesmo que seja só você a pessoa quem morará aí).

Por que escrevi tudo isso? 

Porque eu valorizei absolutamente tudo. Tudo que tem aí dentro, mas esqueci de valorizar o que a tornava um lar. E é por isso que estou indo embora... 

Recomeçar toda uma reforma. De outra casa, mas também da alma. 

Porque não dá pra ficar quando seu mundo inteiro já se foi, levando parte de você junto. E a parte que ficou foi a que percebeu, amargamente, que uma bela casa é só uma bela casa até que você habite nela e faça morada.

Eu só estive aí e acabei perdendo a chance de morar de verdade em um lugar que era tão meu, mas eu não vi.

Habite esse lugar, mas habite também as pessoas que irão adentrá-lo.

Com amor,

aquela se foi por não saber como ficar...

espero que você saiba!

Texto para o projeto De vista em vista, cujo tema era 107- A pessoa que vai morar na sua casa quando você se mudar. Leia outros textos com este tema aqui.

Hei! Acho que você vai gostar disso também:

0 Recados

E você, o que achou do post? Me conte aqui nos comentários!
Deixe seu link para eu conhecer seu blog também. ;)

Últimos vídeos:

Textos para sua alma