+18,

#Resenha: It Ain't Me, Babe (Hades Hangmen #1) - Tillie Cole

maio 14, 2019 Sâmela Faria 0 Comments


Título: It Ain't Me, Babe (Hades Hangmen #1) +18
Autora: Tillie Cole
Editora: Tillie Cole LTD
Páginas: 466
Ano de publicação: 2014
Onde comprar: Amazon

A História

“Ele era meu único segredo... o meu maior pecado. Ele tinha se tornado quase como um sonho para mim.”

Em um universo totalmente obscuro e cheio de intrigas, negócios misteriosos, bebidas, drogas e muito sexo, Styx governa seu povo, os chamados e temidos, Hades Hagmen. Com suas potentes motos, suas roupas pretas de coro e jeitos irritadiços, os Hades são um povo que tem sua própria regra e estilo de vida.
Styx é o Prez, com apenas vinte e seis anos, o líder desse bando. Ele tem um problema na fala, porém é o mais temido entre eles. Todos os outros homens, seu povo, lhes devem respeito e obediência, e assim fazem. Consideram-no acima de tudo. Ky é seu vice. Um homem que cresceu ao lado de Styx e que é um fiel amigo para todas as horas.
Estava tudo sob controle, até que um negócio dá errado e Styx fica furioso quando descobre que um deles é um rato, ou seja, há um traidor entre os Hades.
No entanto, não é só isso que abala o mundo deles... mas a chegada inesperada e misteriosa de Mae, uma jovem de olhos de lobo, mas com muitos ferimentos e segredos terríveis sobre de onde vem.
Agora todos podem estar em perigo, mas, estranhamente, ela parece familiar à Styx. 

Capa, escrita e detalhes

A capa do livro já revela muito da história, pois condiz perfeitamente com a trama. Tem obscuridade e um toque sombrio, tudo o que compõe essa história.
A escrita da Cole é fria, dura, objetiva e sem nenhum pudor. Por diversas vezes somos levados a ler algo que pode fazer nosso estômago revirar. E é justamente assim que a autora decidiu escrevê-la.
A história é composta por muitos personagens secundários e até mesmo principais, mas cada um tem sua particularidade em alta, e, apesar de focar mais em um determinado grupo, achei que as características de cada um deles são bem construídas e aproveitadas.
O ápice da trama se dá nas descobertas que fazemos sobre o mundo sombrio e doentio de Mae. Por diversas vezes não foi fácil continuar lendo, pois há cenas que vão te perturbar muito, embrulhar o estômago e te fazer não acreditar que isso possa existir...
E é aí que a coisa fica ainda mais perturbadora... porque logo nas primeiras páginas a autora faz uma nota explicando de onde a história surge, e, sim, ela surge da realidade de inúmeras pessoas que viveram tais coisas.
Perturbador, desesperador, duro, sombrio e totalmente sem pudor (com um pleno objetivo de ser exatamente assim), Cole nos apresenta a um mundo completamente obscuro, onde pessoas usam Deus como alicerce para suas piores versões e onde o povo “pecador” acaba servindo como válvula de escape de uma seita terrível.

Conclusão

Na boa, que livro! Fiquei completamente mexida com essa história, não conseguia parar de ler e já estou lendo o segundo volume. Confesso que algumas cenas me deixaram mesmo muito desesperada, quase sem conseguir continuar. Então não é um livro para todo tipo de leitor, é um romance dark e que ainda é baseado em histórias que aconteceram de verdade... simplesmente muito perturbador.
Mas eu amei. Sim, meio estranho dizer isso, mas é a verdade. Porque foi assim que conheci essa realidade tão inconcebível para mim antes. Sofri, chorei, sorri... me desesperei junto com a protagonista, mas continuo acompanhando a evolução desses personagens... e torcendo por todos eles, até mesmo por quem não deveria torcer.

Comentários
0 Comentários

0 Recados:

E você, o que achou do post? Me conte aqui nos comentários!
Deixe seu link para eu conhecer seu blog também. ;)