Livros,

#Resenha: É assim que acaba - Colleen Hoover

março 22, 2019 Equipe do Escrituras da Alma 1 Comments


Título: É assim que acaba

Autora: Colleen Hoover

Editora: Galera Record

Páginas: 368

Ano de publicação: 2018

Onde comprar: Amazon | Saraiva


“As pessoas passam tanto tempo se perguntando por que as mulheres não vão embora... Onde estão as pessoas curiosas do porquê os homens serem violentos? Não é aí que deveria estar a culpa?”

“Não deveríamos sentir um desgosto maior pelos agressores que pelas pessoas eu continuam os amando?”

A História


Lily é uma mulher que cresceu dentro de um lar doloroso, vendo sua mãe sofrer nas mãos de um pai violento. Tudo o que ela foi obrigada a assistir lhe levou a sempre tentar desenhar em seu destino uma vida diferente de sua mãe, pois jamais se via naquela mesma situação. Nunca entendeu como sua mãe podia ter aceitado tudo aquilo. Nunca entendeu o motivo de ela ter ficado, mesmo que não tivesse condições de partir.

Ainda nova, Lily conheceu alguém que era o oposto de seu pai. Ainda nova, Lily conheceu o amor de uma forma estranhamente boa e ruim, ao mesmo tempo. Era nova, mas sabia que seu coração fora tomado por um sentimento forte e que nunca, nunca poderia esquecer.

Hoje, Lily é uma mulher forte e que corre atrás de seus sonhos. Com sua vontade de ter o próprio negócio, seu desejo é de estar focada no trabalho para que seus ideais sejam conquistados. Hoje ela já não precisa mais lidar com a desesperadora violência  doméstica que sua mãe sofria. Finalmente acabou...

Até que  conhece o charmoso, bonito e neurocirurgião Ryle. Ao conhecê-lo, Lily tem suas dolorosas e inacreditáveis manchas do passado como em uma miragem... só que, dessa vez, ela é quem está do outro lado.


Personagens principais


Lily sofre com as lembranças dolorosas e desesperadora de seu pai. Ela era só uma menina quando teve que assistir e tentar impedir diversas vezes sua mãe apanhando dele. Cresceu tentando entender como tudo aquilo fora acontecer com sua mãe, uma mulher sempre tão dedicada e amorosa com a família. Ela não conseguia acreditar que sua ela ainda poderia amar alguém que lhe machuca. Sua maior certeza da vida era que nunca, nunca se permitiria estar naquela posição. Ela poderia dar um fim nisso se quisesse, certo? Mas quando sua vida se torna um reflexo do passado, Lily custa a acreditar que isso pode estar realmente acontecendo.

Ryle é um homem bonito e charmoso. Ele é neurocirurgião e está totalmente focado nos estudos e no trabalho, pois quer ser o melhor em sua área. Ryle é um homem fechado, embora consiga jogar verdade nua e crua com Lily. Ele a conhece em um dia ruim, sem pretensões nenhuma de melhorar. Aquela mulher que lhe fez esfriar a cabeça não sai de seus pensamentos, mas ele nunca quis ter nenhum tipo de relacionamento com ninguém. Ele sabe que seu foco é outro. No entanto, ao se ver desesperado para tirá-la de sua mente, acaba por adentrar cada vez mais na vida de Lily. Mas Ryle tem um passado que nunca conseguiu esquecer... e é preciso apenas um pouco de fúria para que ele se descontrole completamente.

Capa, escrita e detalhes


A capa do livro é bonita, simples, porém muito bonita e reflete muito da história.

A escrita de CoHo é sempre impecável, nos levando a devorar cada capítulo sem sequer perceber. Dessa vez, a escrita é mais crua, sem o toque de romantismo que CoHo costuma adicionar a seus livros, mas isso foi realmente necessário. O livro é escrito em primeira pessoa pela visão da nossa protagonista, Lily.

É assim que acaba se trata de uma história muito dolorosa, que mexe com o leitor logo de início. É possível sentir a dor de uma Lily ainda adolescente tendo que lida com a situação desesperadora da mãe nas mãos do pai. Isso a faz crescer odiando o pai por tudo o que ele fez com sua mãe.

Vemos uma Lily que é tão pura, querendo ajudar, mas se sentindo impotente diante de tudo aquilo. Também vemos uma Lily que estende as mãos para um completo estranho, sempre com o coração tão genuinamente aberto a quem precisa. Vemos uma Lily que cresce com um amor arrebatador dentro de si, mas que foi obrigada a tentar esquecer. Sim, tentar, porque nunca esqueceu.

Lily agora já é adulta e sabe muito bem o que quer. Lily é uma mulher que corre de complicações, de relações que possam demonstrar qualquer resquício semelhante ao que sua mãe sofreu... até que ela se apaixona perdidamente. Até que ela conhece o “amor de sua vida”. Até que ela conhece a dolorosa verdade de estar do outro lado, o mesmo lado que sua mãe esteve e ela nunca entendeu.

É um livro muito bem escrito, como sempre, porque CoHo arrasa. É estranho dizer que amei, mas a verdade é que eu não posso negar o quanto fui arrebatada. Uma história escrita para chocar, para te fazer ver a realidade com seus olhos, para te fazer sentir na pele da protagonista... é uma história para te mostrar como é estar ali, naquele lugar que todos julgam, apontando o dedo e dizendo um simples “é só ir embora”.

Quanto tapas na cara tomei. Quantos dolorosos suspiros soltei, porque eu me odiei por fazer parte dos que estão do lado de fora sem entender e que ainda julgam. Eu odiei a forma como Ryle se transforma, porque eu estava gostando tanto dele... e foi aí que me senti na pele de Lily. Eu mesma não queria acreditar. Me peguei pensando e tentando encontrar um motivo... um motivo que nunca existiu. Isso me assustou. Isso me quebrou completamente.

Conclusão


Se eu recomendo? Com toda certeza do mundo.

É assim que acaba é um surto de realidade. Uma miragem que a gente vê e pensa não estar vendo, que a gente tenta se convencer de que não é bem assim... mas é assim. É EXATAMENTE ASSIM. Não podemos negar, não podemos fingir, não podemos deixar de ver.

Chorei feito criança. Chorei muito mesmo, porque eu não queria ver ninguém do outro lado, mas eu sei o quanto há mulheres lá... na mesma situação.

Essa história quer te mostrar, veja.

Essa história quer te fazer sentir, sinta.

Essa história quer te fazer entender, entenda.

Mas, nunca, nunca aceite.

Porque sim, pode acabar. E é exatamente assim que acaba.

Citações favoritas


“A maioria das plantas precisa de muito cuidado para sobreviver. Mas algumas coisas, como as árvores, são fortes o bastante para sobreviver dependendo somente de si mesmas e de mais ninguém.”

“Mas vai passar. É a natureza humana: curar uma ferida antiga e preparar uma nova pele.”

“Todo mundo erra. O que determina o caráter de uma pessoa não são os erros cometidos. É como ela usa esses erros e os transforma em aprendizados, não em desculpas.”

“Penso que, às vezes, por mais que você esteja convencida de que sua vida vai seguir determinado rumo, toda a certeza pode sumir com uma simples mudança de maré.”

“Imagine todas pessoas que você conhece ao longo da vida. são muitas. Elas surgem como ondas, entrando e saindo aos poucos, dependendo da maré. Algumas ondas são muito maiores e causam mais impacto que outras.”

“Talvez o amor não seja um ciclo completo. Apenas suba e desça, entre e saia, assim como as pessoas em nossa vida.”

“Só porque não terminamos juntos na mesma onda não significa que não somos parte do mesmo oceano.”
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Já li e amei também. Acho que foi muito bom o jeito como a autora nos permite que nos coloquemos no lugar da protagonista. Foi muito importante para mim essa leitura.
    Adorei a resenha :)

    ResponderExcluir

E você, o que achou do post? Me conte aqui nos comentários!
Deixe seu link para eu conhecer seu blog também. ;)