Amor,

Viramos fantoche do cotidiano

outubro 13, 2018 Sâmela Faria 2 Comments


https://pixabay.com/pt/casal-amor-dois-pessoas-amantes-498457/
Tudo pode ser infinitamente intenso quando tudo são flores. Só que, como bem sabemos, a vida não se traduz em um jardim florido. A vida é sobre ir além. Um jardim florido carrega o perfume das flores, a beleza das pétalas, das formas e cores, mas também carrega os espinhos. A verdade é que nada é cem por cento maravilhoso. Uma hora ou outra a gente acorda e fere os dedos na rosa que sempre floresceu aquele lugar. Não é como se tudo tivesse que ter um lado ruim, mas tem, independente do quanto lutemos contra.

Aconteceu com a gente.

Tanto sentimento que colecionamos ao longo do tempo. Tantas manias, modos e comportamentos que decoramos um do outro. Tivemos bastante tempo para nos tornarmos conhecidos um para o outro e cada vez mais sentíamos que isso se concretizava mais um pouco. E não é que tenha acabado de vez, mas a verdade é que já nem sei mais quando foi que percebi que começou a diminuir. Somos tão felizes juntos, mas sabemos que existe um vazio dentro de nós. Esse vazio tem crescido cada vez mais. E eu não estou mais sabendo lidar com a profundidade, acho que o medo de me afogar tem me impedido drasticamente de continuar tentando.

Acho que a realidade é que a vida aconteceu, como sempre acaba acontecendo por aí, sabe? E acabamos virando fantoche do cotidiano que se repete minuciosamente dia após dia. Já parou para perceber como nada muda mas tudo jamais é como antes? Não quero que entenda que eu cansei do mesmo reflexo na passagem do tempo, mas estou enfraquecendo com o tempo que passa tão depressa enquanto nós ficamos para trás. Já não acompanhamos mais as horas que correm, as datas que se misturam no calendário e de repente já é natal. O desespero vai me corroendo por dentro quando vejo pela janela que as coisas continuam as mesmas lá fora, mas que dentro de nós o estrago está se alastrando.

Embora tudo pareça ser o fim, em nome de tudo o que já protagonizamos nas cenas da vida que nenhuma novela sequer conseguiu encenar, ainda sinto que podemos chegar lá, sabe? Em nome de tudo o que os livros de romance ainda não relataram mas que guardamos, com muito carinho, em nossa memória, me faço forte por acreditar que ainda temos jeito. Chegamos até aqui, não foi? Eu não sei como foi que percebemos que perdemos muito de nós pelo caminho, mas ainda podemos recompor tudo o que pensávamos ter.

A verdade é que ser fantoche do cotidiano não é o que desejamos para nós, claro, simplesmente aconteceu. E será que não podemos fazer acontecer de forma diferente?

A vida é muito daquilo que simplesmente acontece, mas também é feita daquilo que fazemos dela. Se fizermos a mudança juntos, juntos nos tornaremos a mudança que precisávamos e não víamos. Mas o primeiro passo é ver.

2 comentários:

  1. Oiê, tudo bem?
    Amei o texto, muito profundo e forte! A verdade é que estamos todos sendo engolidos pelo cotidiano e não estamos sabendo lidar pois não caímos na real. Gostei demais desse texto mesmo, parabéns!

    Obrigada pelo carinho. Volte sempre!
    Um super beijo :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  2. Oi, Claris!
    Fico tão feliz que tenha gostado!<3
    Muito obrigada e volte sempre você também.
    Beijos,
    Sâm.

    ResponderExcluir

E você, o achou do post? Me conte aqui nos comentários!
Deixe seu link para eu conhecer seu blog também. ;)