Amor,

Você nunca quis ouvir adeus

setembro 05, 2018 Sâmela Faria 4 Comments


Não é adeus que você quer ouvir, mas nunca foi capaz de me dizer que vai ficar. Nunca me pediu para ficar. Nunca me pediu para não ir. Nunca me pediu para estar ao seu lado no próximo amanhecer. É muito nunca para um amor de tantos anos. É muito “ainda não” para um amor que cresceu tanto. Não é adeus que você quer ouvir, mas é o adeus que você tem pedido a cada silêncio, a cada nota não tocada, a cada palavra não dita e olhares desviados.

Nunca.

Nunca é uma palavra tão grande, acho que foi isso que aconteceu: fomos engolidos pelo o que nunca tivemos oportunidade de ter. Mas eu não quero dizer adeus, só que a razão sabe para onde é que está sendo varrida nossa história. Não é amor quando o que fazemos é deixar rolar. Não é amor quando o que tentamos é algo sem definição por já ter sido definido demais. Não é amor quando o que a gente faz é fingir que está tudo bem. É tudo, menos amor. Mas talvez seja apenas os efeitos do nunca que não temos coragem de viver.

Nunca. Nunquinha.

Eu disse que sim pela primeira vez querendo dizer talvez. E quando estive pronta para dizer sim, eu disse não sei. Eu sei. Eu sempre soube. Eu sei que quero eu e você numa sala escura, num sofá cinza sem vida, com uma TV ligada na nossa série favorita da vez, com uma vasilha de pipoca nas mãos. Eu sei que quero os amassados do lençol ao acordar pela manhã e ver suas pernas por cima da minha. Eu sei que quero te ver sorrir ao abrir os olhos logo que o sol invadir as cortinas do quarto.

Nunca, nunca deixei de saber.

Mas também nunca pude dizer.

O nunca entalou em minha garganta. Chegou ao coração e criou uma placa, um túnel escuro, sei lá. Eu só sei que fiquei ali, presa, totalmente impedida de deixar às claras minhas mais humildes e sinceras intenções com isso que chamamos de amor. Mas sabe o que eu não sei? O que você anda sabendo sobre nós. O que é que você nunca deixou de saber? Às vezes penso que você sussurra tão baixo que eu não posso ouvir. É o que tento me convencer todos os dias em que insisto em te ouvir. Não há eco em todos os corredores da vida. E aprendi que às vezes a gente grita, grita, grita, mas nada vem de volta. Não importa o quanto você grite, nem sempre haverá respostas.

Nunca, nunca ouvi.

Você nunca deu eco dentro de mim.

E agora que eu percebi que o nunca é a única coisa que nós temos, você vem querendo balbuciar alguma coisa. Mas, sabe, você passou tanto tempo no mudo que já nem sabe mais como é que se pronuncia as palavras, os sentimentos, as afeições. Desculpa, mas é que a vida tem dessas coisas, sabe? Como tudo o que acontece com a nossa vida, às vezes pode ser tarde demais para dizer que nunca mais... vai deixar de dizer.

É que você já deixou.

Tem certeza de que nunca quis ouvir adeus? Porque é a única coisa que eu tenho pra te dizer hoje: estou indo por simplesmente nunca ter podido ficar.

4 comentários:

  1. Adorei.
    Exatamente assim.
    São receios que temos que fazem parte da vida.


    Abraços,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Naty!
      Sim. Mais pura verdade.
      Obrigada pela visita e volte sempre!
      Abs,
      Sâm.

      Excluir
  2. Oi, Sâmela

    Às vezes a gente fica insistindo em algo que não insiste na gente, sei bem disso. É difícil dizer adeus, mas mais difícil ainda é ser sempre preterida e só ter atenção na iminência da partida.
    Dizer adeus é doloroso, mas muitas vezes necessário!

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tami!
      Eu suuuuper concordo com você! Em absolutamente tudo.
      Obrigada pela visita e volte sempre.
      Beijos,
      Sâm.

      Excluir

E você, o achou do post? Me conte aqui nos comentários!
Deixe seu link para eu conhecer seu blog também. ;)