Leitura Conjunta,

#Resenha: O Caminho para Casa - Kristin Hannah

agosto 04, 2018 Sâmela Faria 2 Comments


Título: O Caminho para Casa

Autora: Kristin Hannah

Editora: Arqueiro

Páginas: 352

Ano de publicação: 2012

Onde comprar: Amazon | Saraiva

"Talvez o tempo não curasse as feridas, exatamente, mas criasse uma espécie de armadura, ou uma nova perspectiva.  Uma forma de lembrar com um sorriso e não com um soluço".

A História


Você sabe qual é o caminho para casa? E quando não se tem um lar para chamar de seu, para onde é que se volta?

Lexi é uma menina que sofreu muito durante a vida, com uma mãe alcoólatra e viciada em drogas. Ela cresceu em lares adotivos temporários, mas sempre odiou esses lugares. Quando Lexi encontrou uma família boa, sua mãe reapareceu e a levou novamente para a sarjeta de sua existência precária, sempre jurando seu amor, mas sem demonstrar tal sentimento em suas atitudes.

Só que agora as coisas vão finalmente mudar na vida de Lexi. Agora ela terá um lar para chamar de seu. Uma tia distante decide ficar com ela. Ela vai se mudar. Vai conhecer um novo mundo, mas, acima de tudo, Lexi irá experimentar sentimentos e sensações que até então jamais havia sentido. No entanto, será que o amor anda sozinho ou sempre vem acompanhado?

Ao se mudar, Lexi conhece Mia. Mia torna-se sua melhor amiga, sabe aquela BFF? Então, assim é Mia na vida de Lexi e vice-versa. E, como se ainda não bastasse, Lexi ganha o sentimento gostoso do primeiro amor: ela se apaixona por Zach, irmão gêmeo de Mia. Os três constroem uma linda amizade, um tipo de laço não só bonito, mas confortável e sincero. Eles selam um pacto de nunca se abandonarem.

E então o inesperado acontece: um destino cruel e doloroso irá engolir a todos.

O que fazer quando se percebe que não se pode voltar atrás?

Os personagens


No começo do livro, Lexi tem quatorze anos. Ela é uma menina que cresceu em lares adotivos por ter tido uma mãe alcoólatra e viciada. Após ir morar com uma tia e finalmente ter um lar, acompanhamos o crescimento dessa menina se transformando em mulher. Lexi tem olhos azuis e cabelo preto, é uma garota na dela, que ama livros e que nunca teve muitos amigos. Ela nunca se sentiu amada de verdade, pensa que nem sabe o que é amar. Até encontrar Mia. Instantaneamente, as duas se tornam amigas. Isso faz com que ela viva várias sensações diferentes e uma delas é a ideia de se sentir importante para alguém. Além de encontrar Mia, Lexi conhece e se apaixona por Zach, irmão gêmeo da amiga. E também adentra no mundo dos gêmeos como um passarinho à procura de algo para bicar. Então ela se deparada com uma Jude amável, mãe dos gêmeos, e a tem como uma mãe também, assim como considera muito Miles, o pai deles. Mas o destino nem sempre brilha quando a vida dá eco. Às vezes, ele vem em forma de escuridão também.

Mia é uma menina que tem uma boa família, boa condição de vida, um bom irmão e um bom lugar para morar. Ou seja, ela é o oposto de Lexi. Mas ainda assim, Mia tem suas inseguranças, seus medos e manhas de menina que as fazem ser um bichinho escondido do mundo lá fora. E talvez seja isso que tenha feito com que Lexi fosse sua amiga, afinal de contas, sobre ser escondida do mundo Lexi entende bem. Através da leitura, as duas começam a compartilhar seus sonhos e anseios, segredos, desejos... Mia muda muito após conhecer Lexi, muda para melhor. Agora ela sai mais, sorri mais, é feliz. Agora ela não é mais só a irmã gêmea do garoto mais popular da escola. Agora deixou sua capa invisível e está pronta para enfrentar o mundo. No entanto, o mundo sempre tem caminhos tortos e cheios de curvas indecifráveis.

Zach é o irmão gêmeo de Mia, como já foi dito. Ele é o carinha popular da escola, lindo e muito querido pelas moças. Loiro, com o cabelo liso e caindo aos olhos verdes, Zach chama a atenção de Lexi logo de cara. Mas ele age indiferente a ela. Ele sabe do que lhe espera. Com o passar do tempo, com Lexi frequentando sua casa, Zach tem que conviver com ela e os três se tornam unidos, ele, sua irmã e Lexi. Zach não é o tipo de cara metido a besta, que não se importa com ninguém e nem com as garotas. Ele é um cara legal e que ama sua família e sua irmã acima de qualquer coisa. Ele faz de tudo por Mia, pois tem uma união muito grande com ela. No entanto, ao conhecer Lexi, seu mundo muda completamente. E talvez ele ache que sabe amar, talvez ele descubra o que é realmente o amor ou simplesmente perceba que o amor nunca vem só.

Jude é a mãe dos gêmeos. Ela é do tipo superprotetora. Sempre fugindo de sequer se deixar parecer com sua própria mãe, por quem nutre um sentimento confuso de negação e aceitação, ela tenta de tudo para ser a melhor mãe que puder. Quer um exemplo? Ela faz festas para os amigos dos filhos em sua própria casa com o maior prazer, assim ela pode ficar de olho nos filhotes. No entanto, ela percebe que quando filho cresce vira passarinho e quer o quê? Isso mesmo, bater as asas, porque voar já é outra coisa, não é? Com o ensino médio chegando ao fim e as festas de final de terceiro ano chegando, Jude terá que aprender a lidar com os “sim” que ela terá de dar aos filhos, afinal, dali a pouco eles estarão na faculdade, certo? Ora, ela nem consegue imaginar a ausência deles.

Eva é a tia-avó de 66 anos que adota Lexi. Ela é uma senhora que tem os joelhos cansados, que mora em um humilde trailer, mas que tem muito amor para dar. Ela vive em Port George, Washington, trabalha e dá duro na vida para poder sobreviver aos trancos e barrancos que a vida lhe impõe. Após encontrar Lexi, Eva preenche o espaço vazio em seu coração e também oferece à Lexi cuidados fraternos que a menina nem se lembra de ter tido.

Miles é pai dos gêmeos. Ele é médico, então trabalha bastante, mas, independente disso, é um pai presente. Ao contrário de Jude, Miles percebe a necessidade dos filhos de saírem para se divertir. Ele normalmente pede em prol disso, mas também puxa as rédeas quando necessário. Miles é um homem adorável, que ama sua esposa e seus filhos. Que ama seu lar. Tudo o que ele mais quer é que possam continuar vivendo sempre assim, em harmonia. Só que a vida nem sempre são só flores.

Capa, escrita e detalhes


A capa do livro é bonita e reflete muita coisa da história. Após ler o livro, a capa se torna ainda mais emocionante, pois traduz nosso sentimento com tão pouco.

A escrita da Kristin é surpreendentemente emocionante e leve ao mesmo tempo. Embora o livro seja narrado em terceira pessoa, característica de que não sou tão fã, conseguimos perfeitamente nos sentir próximos aos personagens. A narrativa é fluida e rápida, quando menos se percebe, o livro já está acabando. E você já está com o coração apertado também.

A história é bastante completa e muito bem estruturada. Foi construída de uma forma diferente ao que costumo ver por aí, pois acompanhamos de camarote toda a trajetória desses personagens. Crescemos junto com eles, nos desprendemos da barra da saia da mãe com eles, farreamos juntos. São personagens muito bem descritos e caracterizados, perpetuando do começo ao fim a mesma personalidade. Falo isso ao ponto de lermos algo e termos certeza de que foi dito ou pensado por um determinado personagem. É isso: conhecemos cada um deles a fundo, não foi deixado nada passar. Eles não contam sobre seu passado, eles o vivem como um presente que vai se transformando com o tempo.

Como comentei acima, o livro é bastante completo, nada fica sem resposta, mas muita coisa te faz fazer perguntas e querer indagar cada erro, cada dor, cada lágrima, sorriso e mudança. Tudo isso é fruto de uma única história, uma história que vive o real, que mostra o real ao ponto de você não saber mais como distinguir o real do sonho e o sonho do pesadelo.

Conclusão


O caminho para casa conta com um enredo muito emocionante, onde fala-se sobre aceitação, amizades fortes, amores impossíveis, família, lar, filhos, amor fraternal, erros, perdas, dores, sorrisos, amores e desamores. É um livro que toca bem na alma da gente, que mexe com nosso emocional e nos faz engolir as páginas em poucos dias, até mesmo horas.

Se trata de uma história que vai te fazer se questionar a cada segundo o seguinte: como foi que essa história evoluiu tanto? Como viemos parar aqui? Se você se perguntar algo assim, saiba que é normal, porque Kristin vai te pegar desprevenido e te mostrar aos poucos o que esses personagens têm para contar. É muita coisa!

Se eu recomendo o livro? Recomendo tanto! Recomendo principalmente para quem ama romances, mas também para quem ama drama. O Caminho para Casa evidencia, em primeira mão, que sempre haverá um lar para chamar de seu, mesmo que esse lar seja uma casa, um lugar, uma rua, um objeto ou um alguém.
Li em conjunto com a , e nós duas ficamos muito impactadas com o livro, então, já podem concluir que essa resenha traz duas opiniões em uma só. Hahaha.

Leiaaaa! Depois me conte aqui o que achou dessa história arrebatadora?!

2 comentários:

  1. Oi Sâm, tudo bem??
    Ainda não conhecia, valeu pela dica, já quero conferir
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Felipe! Tudo beleza.
      Sim, é ótimo!
      Obrigada pela visita e volte sempre.
      Até breve!

      Excluir

E você, o achou do post? Me conte aqui nos comentários!
Deixe seu link para eu conhecer seu blog também. ;)