Inquietações,

#Proseando: O perdão que rega nossa alma e transforma a dor

agosto 20, 2018 Sâmela Faria 4 Comments


https://pixabay.com/pt/eu-pe%C3%A7o-perd%C3%A3o-%C3%B3culos-rosa-3d-824194/
Em alguns anos atrás, uns quatro ou talvez cinco, eu jamais escreveria sobre esse tema. Mas a gente cresce não é verdade? Pensando bem, eu até poderia escrever sobre isso, mas jamais com a visão que pretendo trazer para essas linhas.

Acontece que falar sobre perdão é como falar sobre dor: ninguém entende aquilo que não sente. No entanto, perdão é diferente de dor por uma razão: ele pode transformar a dor em algo melhor. Sim, o perdão muda tudo. Só que eu não sou tola ou hipócrita ao ponto de dizer que é simples assim. Não é nada simples. Aliás, é uma das coisas mais difíceis de se conceber.

Ao falar sobre o ato de perdoar falamos sobre um outro patamar da dor. Sim, é bem depois que já doeu demais. Que já te fez chorar dias e mais dias, noites e mais noites intermináveis. E aí quando você pensa que acabou chora mais um pouco. E mais um pouco, mais um pouco, até que isso vai mudando. Dói, não se engane, mas dói de outra forma. Dói com um sentimento a mais. Ainda há marcas onde houve uma grave ferida. As marcas são os registros que guardamos da vida. Nunca somem por completo.

Mas então um dia você sente a dor de uma maneira diferente. Ela chega e tenta entrar, tenta fazer você enlouquecer como antes, mas não é assim mais. A dor não passou, mas se transformou. E você amadureceu, o que fez com a dor amadurecesse também. E, diante disso, você consome a dor de outra forma, a sente de outra maneira, porque você, hoje, sabe que já doeu demais, que já se permitiu se destruir demais por aquilo. Agora você quer subir mais um degrau. Quer deixar para trás. Leu isso? Quer deixar para trás. Talvez esse seja o primeiro passo para o perdão entrar: deixar para trás.

Quando você decide que precisa, finalmente, seguir em frente é hora de repensar o motivo pelo qual ainda não fez isso. Foi decepcionado? Decepcionou alguém? Fracassou em alguma coisa? Te fizeram fracassar? O que aconteceu para que a dor te consumisse? O que você fez com essa dor? Deixou doer? Se permitiu chorar? Porque sim, a gente precisa sofrer a nossa dor para poder vê-la ir embora. É que se a gente não se permite chorar, implode dentro de nós, vivemos na amargura dos dias que não permitimos passar. É isso: se dói, chore. Qual o problema de chorar? Quando algo machuca nosso mundo de dentro, o mundo de fora pouco importa. Sinta sua dor até que possa se permitir parar de senti-la.

E então você pode tentar o perdão. O perdão a quem te machucou. O perdão ao tempo que passou sem que te deixasse acompanhar. O perdão por quem se foi sem que te permitisse ir junto. O perdão a si próprio, aos seus sonhos parados, o perdão à vida. O perdão não vem só com o tempo, sabe? A gente precisa reconhecer nossa parte na história. Não basta querer que a dor se vá, não basta querer continuar, seguir em frente, mas tudo isso junto irá te ajudar a querer buscar o perdão. E, quando colocar na mente que talvez você consiga perdoar, vá com tudo, não fique remoendo o que passou. Eu sei que você ainda lembra, que ainda tem as marcas, mas a vida é mais que isso, não é? Às vezes precisamos deixar as feridas de lado para ganhar novas batalhas.

O perdão não é fácil. Talvez ele surja do nada, e quando alguém tocar na ferida você nem se importe mais. Ótimo. Mas se isso não acontece, talvez seja preciso ir em busca. Sabe quando a gente precisa muito esquecer? Depender do tempo pode ser um castigo cruel e lento, embora saibamos que o tempo passa rápido. O tempo passa rápido, mas quando a gente estagna por causa das dores e das decepções, a vida perde o sentido aos poucos. A gente vai virando páginas sem sequer ler e entender o que estava escrito ali. No entanto, o perdão vem. Sabe, ele vem. Só que não vem de uma única forma. Às vezes chega de mansinho, como disse acima, mas na maioria das vezes precisamos conversar com nosso mundo de dentro. Entender o que se passa. Compreender nosso amadurecimento e nossa cisma de continuar.

Quando o perdão chega, tudo o que se passou entra para o álbum da vida e fica ali, esperando para ser visto algum dia e ajudar quem já passou por aquilo também. E eu sei que você tem a convicção de que para algumas coisas não há perdão, mas é isso que o perdão faz: muda a vida da gente. E quando digo perdoar, não falo sobre, por exemplo, continuar a viver com quem te fez sofrer. Falo sobre perdoar como um ato de se libertar dos rancores que vamos acumulando ao longo do tempo. Falo sobre nos permitir ir. Sobre tentar de novo, mesmo que em outro caminho. Falo sobre deixar as correntes que a vida nos impõe e viver leve, livre e com tudo o que pudermos viver.

Se você já viveu algo assim, em que precisou perdoar e quando descobriu o perdão se descobriu também, nos conte aqui nos comentários e, quem sabe, não podemos ajudar outras pessoas?!

4 comentários:

  1. Estou maravilhada com esse texto !!
    Parabéns..
    por mais textos assim por favor !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Que bom que gostou, Lu!
      Volte sempre!
      Super beijo,
      Sâm.

      Excluir
  2. “Qual o problema de chorar? Quando algo machuca nosso mundo de dentro, o mundo de fora pouco importa. Sinta sua dor até que possa se permitir parar de senti-la.” Essa frase disse tudo, precisamos sentir a dor conhecê-la pra só assim ir em busca do remédio.
    “Quando o perdão chega, tudo o que se passou entra para o álbum da vida e fica ali, esperando para ser visto algum dia e ajudar quem já passou por aquilo também.” A gente não dá amnésia certo rsrs, porem quando perdoamos a gente lembra mais não dói mais, já vivi algo assim com um grande amigo...
    Parabéns pelo texto, beijinhos
    http://claugoliver.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, lindona!
      Fico feliz que tenha se identificado.
      Gostei de ter marcado os quotes, adorei esses também. Hehe
      Obrigada pela visita e volte sempre.
      Super beijo,
      Sâm.

      Excluir

E você, o achou do post? Me conte aqui nos comentários!
Deixe seu link para eu conhecer seu blog também. ;)