Conheça nossa página

Ela precisou partir e encontrou-se a beira mar

Ela precisou partir.
Partiu com o coração apertado, sem ter certeza se era o certo a fazer, mas na realidade ela estava ali, sozinha naquela cidade.
Ela partiu para a praia mais próxima, onde as ondas quebram nas pedras, onde o pôr do sol parece estar mais próximo ao alcance das mãos. Partiu para tentar ficar mais pertinho da sereia que cuida do mar.
- Queria poder tirar de dentro de mim toda essa angústia que me engasga, esse aperto que me sufoca. Leva daqui sereia, que se perca em teu mar e o faça virar onda para o surfista surfar. Para algo deve servir este sentimento que não quer partir...
Ela passou a tarde ali, conversando com o mar, observando o dia passar e tentando eliminar toda aquela energia negativa que insistia em ficar desde os primeiros instantes daquele dia.

As estrelas já começavam a brilhar no céu quando ele a encontrou, dormindo em meio as pedras, com o rímel borrado e a mão apertando a blusa, próxima ao coração. Mas aquele perfume, ah... Aquele perfume ela era capaz de reconhecer a quilômetros de distância, tão forte, tão bom que quase a fazia esquecer-se da briga que assombrou aquele quarto. Ela passou a gostar mais do som do despertador depois de amanhecer aos gritos com aquele que considerava ser “a pessoa certa”, o príncipe cheio de defeitos que ela amava amar.
- Eu sei que você já está acordada, quase não consegue disfarçar o quanto está ofegante agora. Não vai mais embora, nem que a distância que estiver de mim seja de apenas uma hora. Eu preciso saber que você ainda está aqui, porque sentir-te tão longe quando estou perto o bastante para te beijar, dói demais.
Num último suspiro para tomar fôlego, ela levantou-se, olhou para o mar e sentiu a brisa acalmar aquele coração disparado. Então olhou para ele, fixou seu olhar no dele e sorriu. Eles estavam a sós com as estrelas, protegidos pelo mar, e ela desejou que aquele momento não acabasse.
- Então não me solte ao ponto de me deixar partir. – Ela disse já o envolvendo em seu abraço.
- Mas se precisar partir, irei com ti.
O silêncio daquele momento era a certeza do perdão. É que o amor não nos deixa brigar sem perdoar, partir sem se despedir e muito menos ficar longe de quem precisa estar perto de ti.  
O amor é aquele abraço que te faz voltar para casa.

2 comentários:

  1. Que texto gostosinho de se ler Carol, gostei muito bom, parabéns. bjss

    ResponderExcluir
  2. Obrigadaaa!! Adoro ler recadinhos com tanto amor, beeijos

    ResponderExcluir

E aí? O que achou do post? Gostou? Tem alguma crítica construtiva ou dica? Deixe nos comentários! Lemos e respondemos a todos! Ah e deixe o link do seu blog para que possamos te conhecer melhor. Obrigada pela visita e volte sempre.

© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
Modificado por: Sâmela Faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo