Conheça nossa página

#Resenha: Sem Juízo – Emma Chase (Editora Universo dos Livros)


Título: Sem Juízo (Série Legal Briefs)

Autora: Emma Chase

Editora: Universo dos Livros

Páginas: 304

Ano de publicação: 2017

Onde comprar: Saraiva * Amazon 
Skoob  



A História

O que você faria se descobrisse que o amor da sua vida vai se casar e não é com você?

Stanton pirou.

Ao descobrir que sua amada Jenny, amor de sua vida desde a adolescência e mãe de sua filha, estava de casamento marcado, o irresistível Stanton parte para sua antiga cidade com um só propósito: cancelar o maldito casamento. Só que ele não vai sozinho. Diante de tamanho desequilíbrio emocional, ele acaba convencendo a bela e nada recatada Sofia – a amiga com quem ele trepa sem o menor compromisso e pudor – em acompanhá-lo nessa maluquice toda. Ela topa. Eles vão. E tudo o que acontece por lá acaba por trazer mudanças enlouquecedoras para a vida deles.

Mas, será que os dois estarão preparados para as novas descobertas que estão por vir?

Embora seja um advogado exemplar, com seu jeito irresistível e argumentos afiados, Stanton pode até saber como ganhar uma causa na justiça, mas será que ele vai saber ganhar ou perder no tribunal da vida?

Personagens principais

Stanton é um cara irresistível, um pai maravilhoso, um ótimo advogado, um amigo para todas – todas mesmo – horas, com seu sotaque sulista, olhos verdes e com seu total domínio sobre os bons argumentos. Stanton ama Jenny, mas mantém uma amizade colorida com Sofia, sua amiga e colega de trabalho. Sua vida está indo perfeitamente, ele tem sucesso em sua vida profissional, uma amiga com quem trepar, uma filha maravilhosa… não fosse o fato de sua amada Jenny estar prestes a se casar ele poderia jurar que tudo seria assim para sempre, sem se dar conta de que o para sempre também sofre sérios riscos de acabar.

Sofia é a amiga coloridíssima de Stanton. Uma mulher sensual, forte, também advogada e boa no que faz. Eles trabalham juntos. A relação dos dois é estritamente sexual, ela sabe a quem ele realmente ama. Mas algo mexe com ela de um tempo para cá e ela tenta fugir. Aliás, é fugindo que acaba se encontrando.

Jenny é o oposto de Sofia, com seus cabelos loiros e rosto angelical, é a mãe da filha de Stanton e também seu amor desde sempre. Eles se amam indiscutivelmente, porém ela vai se casar com outro. O que será que fez com que Jenny agisse assim? Os dois mantinham uma relação à distância, um relacionamento aberto, se viam e ficavam juntos quando se encontravam na antiga cidade dos dois, onde Jenny mora com sua filha, Plesley. Mas algo mudou para Jenny. Algo fez com que ela encontrasse o erro em seu quebra-cabeça e ela, agora, precisa encaixar as peças certas.

Personagens secundários

Presley é a filhinha de 11 anos de Jenny e Stanton. A menina é linda, um doce e acaba por entender mais do que os próprios pais poderiam imaginar. Ela simplesmente sabe sobre tudo que acontece em sua volta, porque ela vai além de enxergar, ela também sente quando algo está errado.

J. D. é o cara bonitão que vai se casar com Jenny. Ele é um homem leal, carismático e está disposto a fazê-la feliz. Todo mundo parece o aceitar muito bem, menos, claro, Stanton. Ele não tem interesse em tomar o lugar dele, nem como pai, nem como amigo de Jenny, e deixa isso às claras, o que desarma totalmente Stanton. Só que ele não desiste, assim como J. D. também não.

Jake é amigo de Stanton e Sofia, um cara de boa, que divide um apartamento com ele e também é advogado. Tem um humor afiado, centrado quando o assunto é o trabalho, mulherengo, e ele sabe sobre Stanton e Sofia e simplesmente não demonstra reações contrárias a isso, afinal, para ele parece ser normal.

Brent também é amigo dos dois, trabalha com Sofia, e também é advogado. Ele está por dentro do caso dos dois, mas sabe que, no fundo, dali não vai sair boa coisa, pois alguém pode se machucar feio, mas ele é o tipo de cara que estará ali para amparar quem cair primeiro.

Os personagens são muito bem descritos, falando sobre aparência e também sobre características e qualidades. A gente conhece, na verdade, a família inteira de cada personagem, sabe? Não dá pra descrever todo mundo, embora queira, principalmente, mencionar a avó maluquete e briguenta de Jenny que, no fundo, é um amor.

Os personagens principais são bem construídos e têm estilos diferentes, o que deixa mais claro as características e torna a história mais real. Gostei muito disso.

Capa, escrita e detalhes

A capa do livro foi bem trabalhada e mostra, de cara, boa parte da história (segurando aqui para não dar spoiler, hehe). Gostei das cores que ilustram a imagem central, deixando tudo com um toque sofisticado, de acordo, exatamente, com a história. A capa também passa uma sensação de humor, o que, perfeitamente, é encontrado no decorrer do livro. Achei bem bonita.

O título faz totalmente jus ao enredo, gente! Porque sim, é completamente sem juízo essa história! Desde o começo, até o final que, meu Deus, sem comentários. O final deixa a sensação de que a história simplesmente não tem fim. Gostei bastante.

A escrita da autora é bem simples. Impossível não compreender. Não há lotação de palavras difíceis, nem nada do tipo. É super corrida também, o que pode ser um ponto positivo ou negativo, dependendo de quem lê. Eu, particularmente, não gosto muito, porém, com essa história, achei que ficou sob medida! Não ficou tão corrida quanto pensei que fosse ficar, sabe? Deu para aproveitar bastante de cada detalhe da história que é carregada de cenários malucos e exuberantes, ou melhor, momentos de total falta de juízo.

Minha crítica mais aprofundada vai para algumas ocasiões onde o livro trouxe frases machistas ditas/pensadas pelos personagens, isso me incomodou um pouco, embora eu tenha compreendido os motivos da autora de mostrar essa característica nos personagens, mas é que eu, particularmente, achei fora de contexto, afinal, se tratava de pessoas estudadas, da cidade, com uma boa profissão e tal e aqui parece que estou generalizando, mas simplesmente não consigo aceitar que pessoas ainda possam ser assim. Por isso disse que entendo, porque ainda existe, afinal. Enfim, não chegou a ser um grande problema, ufa, só incomodou um pouco.


Conclusão

Eu gostei bastante do livro, meu primeiro da autora. Estou curiosa para a próxima história agora, já que o livro traz uma parte do segundo livro (isso é covardia!).

Não é um daqueles livros que nos deixa refletindo horas depois, porque o tema abordado não é pra isso, mas foi uma leitura rápida, com pouquíssimos problemas encontrados, e até surpreendente, viu. Imaginei um final e ocorreu tudo diferente do que pensei. Isso foi um ponto muito positivo para a autora. Gostei bastante também da forma com que a autora lidou com as mudanças dos personagens durante toda a história, pois pudemos perceber que as pessoas mudam, o tempo muda e os sentimentos também. A gente cresce, afinal, e a vida que a gente leva não pode continuar sendo a mesma se as peças não estão mais se encaixando. O livro me deixou essa sensação de necessidade de mudança algumas vezes na vida que a gente acaba não querendo aceitar ou enxergar, mas vale parar para dar uma analisada.

Recomendo muito para quem gosta de romance hot, viu! Esse é daqueles quentes, mas que não fogem muito da realidade, nem criam todo um ambiente forjado e tal. Tudo acontece tão casualmente que quando vemos já foi. E recomendo para quem gosta de romances também. Cada um vai ter um olhar diferente sobre esse livro, mas com certeza vai querer ler a série inteira.

Citações importantes

O amor da juventude é forte. O primeiro amor é poderoso. Mas o que a gente não sabe quando é jovem – e é impossível saber – é quão longa a vida realmente é. E a única coisa certa na vida, além da morte e dos impostos, é que ela muda.”

Oportunidades […] precisam ser agarradas com as duas mãos. Porque a gente nunca sabe se elas vão aparecer outra vez.”

Querida, vou mostrar todos os movimentos que sei fazer, só que não vai ser na pista de dança.”

Todo mundo é um tribunal… E todos nós somos réus.”

Não preciso pensar muito para saber o que se passa em sua mente… quem está ali, em seus pensamentos. Afinal, sei que é uma fotografia de nós dois.”

O romance está no que se faz, não no que se fala.”

As crianças não ouvem o que dizemos, mas observam a forma como dizemos. Como se fossem dotadas de um sexto sentido, percebem as emoções.”

Isso é um eco do passado, do que fomos um dia, das promessas que fizemos, da paixão que vivemos. Mas um eco não é real, não podemos criar uma vida com base nele. Um eco é só a memória de um som.”

Você é o meu coração, então minha casa sempre será onde você estiver.”



2 comentários:

  1. Oi Sam! Post lindo, como sempre.
    Eu não sei se amo ou odeio livros com continuação.haha
    Beijocas
    Resenhando por Marina

    ResponderExcluir
  2. Oi, sua linda!
    Eu sinto a mesma coisa, sabe? Mas o que esqueci de mencionar é que dá pra ler independente, viu? Hehe.
    Beijinhos e obrigada pela visita linda!
    Sâm

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião para nós, viu?! É bom contar com a ajuda de quem nos lê. Os comentários sempre serão respondidos.
Relaxem e teclem conosco. :*

© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
Modificado por: Sâmela Faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo