Conheça nossa página

Lute



Já faz tempo que eu não paro, não descanso e não desisto. Faz tempo que eu não coloco meus pés para cima com um fone de ouvido me acalmando com uma boa música. Faz tanto tempo desde a minha última visita à casa dos familiares e amigos distantes... Muito tempo que eu não me dou conta do tempo que está passando. Faz muito tempo mesmo que eu parei de notar que o natal se aproxima, e veja, já está se aproximando novamente. Não me permito mais um minuto de silêncio constante para a vida, muito menos para os pensamentos.

Estar ativa pode parecer emocionante para quem vê de longe, confesso, que não sei. Mas tenho certeza que é árduo. Mas é aquele árduo que dói só quando você vai devagar. Quando esquenta os passos, os pensamentos e a busca incansável, dói bem menos. Quase nada. Faz tempo que, depois de acordar bem tarde, eu ia correndo rabiscar papéis, desenhar bobagens e colorir, pintar sonhos depois de borrá-los com desejos e mais desejos. Só que agora, os desejos estão se realizando, mesmo com certa leveza. 

Depois de um tempo você aprende que, mesmo havendo mil e um motivos que te façam querer parar, querer ir mais devagar, ou até mesmo desistir, o jeito é tentar. E depois da descoberta, quem realmente quer, não para. E enquanto não para, coisas que antes não eram fúteis acabam ficando para trás e alcançando este papel. Coisas que antes importavam tanto, deixam de importar misteriosamente, de uma forma que você sequer relembra; e quando relembra, já não mais compreende o sentido que fazia. 

Porque a gente cresce, as coisas se modificam com o tempo que amadurece dentro de você e você vai vivendo de prioridades. Deixando tudo que é mais importante seguir como guia e o que não mais importa se perde em meio ao seu caminho. E aí você houve alguém dizer “Nossa, como você cresceu!” e mal se dá conta disso, até que, de repente, você cai numa de repensar seus passos – que andam tão ligeiros – e acaba caindo na real de que o tempo até te fez bem. E que as coisas até estão indo tranquilas desde que você decidiu não desistir. Pode ser que não tenha mais autonomia constante de sentar no banco da praça em plena segunda para prosear com amigos; dançar em boates; brincar com seu cachorro; ou até mesmo se engrandecer de gentilezas alheias com seus vizinhos e familiares, mas no fundo, você sabe que vai valer a pena todo esse sumiço com o mundo em que vive. Com o mundo em que, ainda, terá todo tempo de explorar. 

E, talvez, tudo que está ligeiramente vivendo hoje, faça todo sentido de vida para você amanhã, e lhe permita ter a certeza que lutar, independente do que possa dar errado, sempre será a única saída.
 - Sâmela Faria

8 comentários:

  1. Eu estava vivendo isso... Até ontem! Hoje foi oficialmente o meu primeiro dia de férias! E, cara, como é bom! *-* É bom lutar por muito tempo e ter um lugarzinho pra descansar.
    Passa lá no meu blog, porque tá rolando um super sorteio! :D

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Nina, eu ainda estou! Minhas férias serão decretadas só a partir de semana que vem. :(
      Oh, muito bom!
      Com certeza, obrigada por me avisar linda!! ♡
      Volte sempre!
      Beijos

      Excluir
  2. Lindo seu texto, como sempre ;). Realmente, a gente só para pensar e percebe que o tempo passou quando desaceleramos. Um dia tudo vai valer a pena, os sumiços, as correrias aí a gente vai poder relaxar um pouco e aproveitar melhor o tempo para, nem que seja, ficar conversando em um dia de segunda feira, na praça com nosso pet rsrs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Susany!! O esforço sempre vale a pena, ainda mais quando vivemos de prioridades.
      Obrigada linda! ♡
      Volte sempre!!
      Beijos

      Excluir
  3. "Faz tempo que, depois de acordar bem tarde, eu ia correndo rabiscar papéis, desenhar bobagens e colorir, pintar sonhos depois de borrá-los com desejos e mais desejos." Aaaaaaah, saudades de ser criança e não ter nenhuma responsabilidade :'c
    Ainda mais que as piores coisas estão chegando com o ano novo: último ano do ensino médio = não viver, quase não respirar e estudar e estudar e estudar para TALVEZ passar no vestibular que tanto quero... Só de imaginar já fico tonta.
    Maravilhoso texto novamente, o que não é novidade.
    Já estão me faltando os elogios, se bem que seus textos trazem consigo milhares de maneiras de se elogiar. Eles não cansam, nem são monótonos. Adoooooooooro.
    Beijoooooooooo <3

    http://listadasnuvens.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo e bem disso! rs
      Também sinto saudades, mas confesso gostar desse agito todo, me faz sentir mais madura e determinada! Haha
      Aaaaaah, eu que já não sei mais como agradecer tamanha gentileza!!
      É um sorriso bem largo que se mostra aqui, e você pode ter certeza disso!
      Obrigada mesmo! ♡
      Volte sempre e sempre!
      Beijos

      Excluir
  4. Acho que tenho passado pelo mesmo, sabe nós últimos messes percebi que se quero algo, tenho que correr atrás, tenho que quebrar meus própios limites, nao tenho tempo pra nada, e fujo dos meus pensamentos, pois mente que pensa muito nao da certo! kk
    Mais é na luta que conquistamos aquilo que sempre sonhamos nao é mesmo? Então nao pare agora, as vezes eu paro e respiro, mais no outro dia já volto com tudo pois que se um dia quero ter a vida que sempre sonhei, tenho que batalhar! E você também ;D
    Boa sorte ♥
    Há estou seguindo o blog, se puder retribuir agradeço ♥ ♥
    Beijão
    http://priscilaashwell.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! Obrigada pela visita Priscila! Volte sempre.
      Beijos

      Excluir

Deixe sua opinião para nós, viu?! É bom contar com a ajuda de quem nos lê. Os comentários sempre serão respondidos.
Relaxem e teclem conosco. :*

© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
Modificado por: Sâmela Faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo