Conheça nossa página

Há saudades sua nesse gelo todo




Como em uma noite de inverno, o frio veio tão forte por esses dias que eu quase me rendi. Mas eu não podia deixá-lo gelar, não em mim, não aqui. Pude notar como os dias são sem gosto quando você não está. E por diversas vezes eu olhei para aquela porta esperando que fosse você que fizera tocar a melodia chata da campainha. Tocou tanto, mas não era você chegando. Aliás, não era você indo, entrando, falando, nem pensando e nem nada. Não era você. Entretanto, eu vi teus passos por diversas vezes enquanto a cama me deixava de cabeça para baixo e de pernas para o ar. Seus passos longos como quem corre atrás de um trem. Só que eles não resolveram chegar aqui. 

Ah, mas o frio veio no seu lugar. A noite gela, o dia gela, tudo está ficando meio gelado ultimamente. Mas meu coração ainda bate. Ou apanha. Só que é por você, entende? Desde o dia em que teu riso resplandeceu o meu riso, eu não mais deixei de sorrir. E mesmo com o gelo gelando tudo por aqui, o coração ainda se ergue. Ele ainda fala, e me toca a sua espera. Retorna todos os dias pela manhã, me fazendo alcançar nossos dias. Nossos sonhos. E eu fico por aí, te esperando em cada esquina, em cada rua. Encruzilhada. Até mesmo nos bancos de cada praça que sento. E quando olho para a Lua e ao invés de admirá-la apenas, eu lembro como seus olhos brilham quando a vê. E eu sorrio de novo, só de lembrar você.

O coração bate tanto que não dá mais para sossegar. Eu corro para lá e para cá, porque sei que seus passos irão entrar por aquela porta, pela janela, por qualquer lugar. Parece que você só foi até a padaria comprar um sonho para meu café da manhã. Mas na verdade, você leva meu sonho junto a você toda noite que vai. E que não vêm mais. E deixa um gelo tão forte que mesmo que eu me cubra em sua proteção, eu tremo. Tremo de frio, de medo, de saudade. De vontade em te ver ali, na substituição de toda escuridão que anda tomando posse dos meus dias. Seu calor não pode me aquecer. E nisso o frio faz gelar. Congelar. Estremecer. Suas mãos não me seguram hoje, e eu não mais tenho equilíbrio. Não que eu não resista à vida sem você, mas por minha vida não resistir em não te ter. 
-Sâmela Faria


2 comentários:

  1. CHOREI. Você escreve MUITO BEM. Parabéns, parabéns, que texto lindo. Amo vim no teu blog, ler estes seus textos, eles são maravilhosos!!!! Parabéns :') Muito intenso ele.

    www.keep-calm-girls.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito, muito, muito obrigada Bella! Fico feliz por isso.
      Volte sempre! ♡
      Beijos

      Excluir

E aí? O que achou do post? Gostou? Tem alguma crítica construtiva ou dica? Deixe nos comentários! Lemos e respondemos a todos! Ah e deixe o link do seu blog para que possamos te conhecer melhor. Obrigada pela visita e volte sempre.

© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
Modificado por: Sâmela Faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo