Conheça nossa página

Um alguém chamado "Para sempre"




Hoje acordei com umas ideias a mais. Vontades a mais. Expectativas a mais. E percebi que era uma série de abordagens muito longa. Demorada. Lenta e incômoda. Mas é que algo mexeu comigo, desde aquele dia em que me disse seu nome e me confundiu com minha irmã. Foi a partir daquela “esbarrada” ligeira que a vida nos proporcionou, que eu cortei caminho do amor. Fugi. Escondi minha alma nos corredores da imperfeição. Mas veja só o que foi acontecer,  você me achou.

Um encontro sem noção daqueles não poderia ficar na história, porém ficou. Não consegui assimilar muita coisa após aquele beijo na bochecha, seguido de suas mãos suadas. Um meio abraço, jamais tocaria alguém tão forte assim, mas tocou. Um “Oi, deixa eu me apresentar” tem alguma coisa de grandioso? Naquele dia teve. Só não me pergunte o que, porque durante todos esses anos venho buscando respostas entre a gente, mas não as encontro. Você as prendeu em algum lugar e diante de suas palavras doces, não consigo procurar.

Caminho sem retorno. Uma encruzilhada fatal. E lá estava eu, perdida. O tormento começou e eu não mais fui vítima. Agora já era diferente, você conseguiu me fazer desejar isso. Aliei-me à você sem saber para onde iríamos, eu apenas fui. Sorte sua. Ou seria azar? Você foi se mostrando um golpe muito bem ensaiado. Fui me entregando, pouco a pouco. Foram passando-se os dias. As horas. Os anos. Tudo acabou passando com o tempo. Menos o nosso amor. E a cada piscada minha, eu resistia, não queria abrir os olhos e constatar que você havia passado também. Mas, com você foi diferente.

Pode sorrir, eu deixo. Mostra aí sua felicidade em saber que aqui se encontra mais 100% de você. Abre aquele seu sorriso “arreganhado” e solta o seu ar de orgulho por notar que mais uma vez você veio parar em meus textos. Minhas linhas soltas. Meus rabiscos exuberantes. Já tentei te excluir permanentemente daqui, mas insiste em ficar. Que fique, então. Livrar-me pode ser mais difícil. Só não faça estragos, por favor. Gosto do cheiro de coisa certa. Do tom da honestidade. Da cor da verdade e da atitude da fidelidade. Se for mesmo ficar, se encaixe nessas peças aí e prossiga.

Gostei do seu primeiro “Oi” sem jeito e hoje não sei mais viver sem ele. O meu cotidiano se atualizou aos seus modos e costumes, eu sei que é um absurdo, mas não pude fazer nada. Foi automaticamente ligada, minha vida à sua. Devia ter te informado antes, dos riscos e contra tempos que correria. Ah e que não teria volta, você transitou em um beco totalmente sem saída. E mesmo que eu queira, não haveria meios para um afastamento forçado. Foi mal.

E tem uma criança aqui sim. Confesso. Uma criança que ainda sonha com os tão esperados e imaginados “Final feliz”. Mas, mudei o trajeto do meu conto. Quem sabe um dia não possa existir? A moleca que tem aqui dentro vibra em historinhas antes de dormir. Imagina, monta, destroi, refaz... Milhões de cenas nossas. Acho meio infantil, mas satisfaz. Você é o meu alguém. Aquele alguém que a gente passa horas conversando e não enjoa. Seu novo nome é “Para Sempre”, lhe coube bem, mas você precisa querer se apossar dele. Caso queira permanecer nessa revolução, terá que aceitar. Vai ser assim, sem ponto final, sem fim
-Sâmela Estéfany

4 comentários:

  1. Amei seu texto, de verdade. Parabéns!! hahaha. Tô começando um cantinho, onde vou colocar meus textos também. Acho que você vai se identificar, tanto quanto eu me identifiquei com o seu. Me visita http://corpurpura-milena.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn quanta fofura! Obrigada Milena, que bom que gostou!! Ah claro, passarei por lá com certeza! Volte sempre, beijinhos :*

      Excluir

Deixe sua opinião para nós, viu?! É bom contar com a ajuda de quem nos lê. Os comentários sempre serão respondidos.
Relaxem e teclem conosco. :*

© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
Modificado por: Sâmela Faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo