Conheça nossa página

Se um dia eu te encontrar

Se um dia eu te encontrar, quero que tenha certeza de que os dias passaram sem que você passasse. Quero que saiba que as coisas continuaram do mesmo jeito, inclusive, seu travesseiro macio ainda continua dividindo a cama comigo. Quero que saiba que sorrio sempre, também, apesar de tudo. Como você sugeriu que eu fizesse, lembra? “Seja feliz, sorria sempre” dizia você. A segunda coisa ando fazendo, já a primeira, não tenho certeza. Posso ser feliz incompleta? Dá para ter paz se a gente sente que falta algo?
Se algum dia a gente se esbarrar por aí,  vou gritar aos céus para que as estrelas me ouçam. Para que o brilho delas veja o quanto meus olhos estarão brilhando também. É que a gente tem conversado, sabe? Elas me disseram, as estrelas, que preciso ser luz para que meu caminho não seja escuridão. Acredita nisso? Meu caminho não é escuridão, eu sou. Sou um completo escuro. Se há algum brilho em mim, é o espaço que você preenche em meu coração que ilumina a alma. Se há brilho em mim, é porque há nossas belas lembranças de algo que ainda nem chegou a ser. De resto, sou como uma esquina deserta que, ao mesmo tempo em que liga uma rua à outra, despedaça a esperança nos olhos alheios de encontrar algo melhor, traz angústia. Como um beco, totalmente sem saída.
Se algum dia, meu bem, a gente se encontrar, vou te inundar com a alma, pois ela já me consumiu. Não haverá palavras. Não haverá gestos. O que definirá esse momento será a nossa capacidade de nos jogarmos um nos braços do outro. Será nossa capacidade de largar tudo para trás. De não perder mais tempo. De se entregar a uma entrega ameaçadora, mas que torna o mundo tão mais bonito. Torna tudo tão mais querido. Se existe alguma mínima possibilidade da gente acontecer, é a ela que me agarro. Porque, no fundo, sinto como se o dia em que você trará suas emoções para minha vida, fosse chegar. Algum dia.
Quero que saiba que nós ainda vamos andar por aí de mãos dadas, como sempre quisemos. Ainda vou poder sorrir ao lhe ver sorrir. Ainda vou poder beijar a curva do seu queixo. A ponta do seu nariz e sentir você com a cabeça no seu peito. Ainda vamos colecionar mais colherzinhas de todos os sorvetes que tomarmos juntos. Tudo isso está guardado dentro das nossas lembranças e sonhos. Tudo isso está me consumindo a cada vez que lembro que não está aqui. Eu ainda espero, sabia? E também espero que, de alguma forma, ainda espere por mim também.
Olho pela janela no mesmo instante em que uma estrela brilha. O nosso amor, com um brilho intenso, ela confirma.
- Sâmela Faria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E aí? O que achou do post? Gostou? Tem alguma crítica construtiva ou dica? Deixe nos comentários! Lemos e respondemos a todos! Ah e deixe o link do seu blog para que possamos te conhecer melhor. Obrigada pela visita e volte sempre.

© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
Modificado por: Sâmela Faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo