Conheça nossa página

Daqui do outro lado

Feche os olhos e me sinta agora ao seu lado.  Sinta minhas lágrimas molharem seu rosto seguido de um longo abraço apertado. Veja como sou feliz em ter você, mesmo não podendo te exibir para o mundo. Eu grito teu nome em meio às esquinas que passo, falo de você toda vez que ouço a palavra "amor". Eu soco as paredes do meu quarto só de imaginar a próxima vez que nos encontraremos.

Faço da sua ausência minha dor. Minha única saída é te criar a cada novo dia antes de dormir. Crio nossas cenas, nossos momentos, nossos dilemas. Invento histórias nossas para as crianças do parque. Eu fantasio fotos que possam expressar nossa alegria.  Há um vazio sendo preenchido por saudades suas e eu não sei o que é pior. Há um nó na garganta que insiste em me sufocar, só de lembrar teus olhos. Tua boca. Teu jeito.

Não suporto a ideia de não poder estar aí ao seu lado agora, mas só eu sei o quanto é pior desmerecer o seu amor por não tentar de tudo pra continuar.  Mesmo que meus dias não sejam assim tão bons por não poder estar ao seu lado,  não vou desistir. Não se pode desistir daquilo que é mais almejado. O triste de nossos passos juntos é que eles são separados. São uns quilômetros. Umas curvas. Algumas horas de viagem, dias talvez. São tantas coisas, mas ainda é pouco.  Muito pouco diante do que carrego dentro do peito e que você se deixou apossar. Busco tua luz na janela, em dias tempestuosos, na escuridão.  Tento acalmar meu interior inquieto por não poder te tocar. Não lavei meu casaco cinza até hoje,  porque nele ainda tem seu cheiro. Mas do meu cobertor seu calor já se foi faz tempo. 

Sinto falta da tua risada alta, mostrando ao mundo seu incrível bom humor. Não escuto músicas mais, todas me fazem lembrar você, e, não é que eu queira te esquecer, mas ainda tenho uma vida lá fora. Mesmo que vazia. Mas não se esqueça de três coisas: estarei aqui - mesmo do outro lado - sempre, um dia nosso caminho vai se reencontrar  e que meus olhos não podem te ver, mas meu coração pode te sentir. Minha memória fotográfica não deixa eu te deixar apenas nas lembranças, nas fotografias. Eu te carrego por aí, todos os dias. Não lembre da distância, procure ter esperança. 
Te vejo, em breve, e para sempre.
                        -Sâmela Faria
Obs.: O blog ficou desatualizado até hoje porque meu notebook está com um probleminha que já será resolvido. O post está sem imagem e com certeza diferente dos outros, porque estou usando meu celular, tanto para escrever, quanto para publicar! Sorry... Daqui uns dias, as pastagens voltarão ao normal.  Beijos ♡

2 comentários:

  1. É incrível como os seus textos nos fazem imaginar cada cena... Parabéns bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa! Isso é muito bom. Obrigada sua linda! ♡
      Volte sempre viu?!
      Beijos

      Excluir

Deixe sua opinião para nós, viu?! É bom contar com a ajuda de quem nos lê. Os comentários sempre serão respondidos.
Relaxem e teclem conosco. :*

© Escrituras da Alma - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design
Modificado por: Sâmela Faria | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo